14:33 12 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 0 0
    Nos siga no

    O Governo do Rio fechou um acordo nesta quarta-feira (14) com as empresas concessionárias do transporte público no Estado garantindo a permanência da prestação do serviço do Bilhete Único Intermunicipal.

    O acordo foi selado durante audiência entre o Procurador Geral do Estado, Leonardo Espíndola, o Secretário de Estado de Transportes, Rodrigo Vieira, as empresas de transporte e o Desembargador Alexandre Freitas Câmara, da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. A decisão deve ser homologada nas próximas 24 horas.

    Através do acordo, o Estado do Rio de Janeiro se compromete a pagar para as operadoras R$ 10 milhões até 31 de dezembro de 2016. Em seguida, o Estado deverá quitar toda a dívida de 2016 com as concessionárias até o dia 15 de janeiro de 2017.

    O acordo prevê ainda que as operadoras vão ter o direito de em um prazo de 15 dias, a cobrar dos usuários dos transportes a tarifa cheia, sem o benefício do Bilhete Único, caso o Estado não pague as parcelas combinadas.

    De acordo com o Procurador- Geral do Estado, Leonardo Espíndola a Justiça teve um papel fundamental para que houvesse a conciliação e a manutenção do Bilhete Único.

    "O Desembargador Alexandre Câmara exerceu um papel fundamental na mediação e na conciliação dos conflitos envolvidos, permitindo a manutenção do Bilhete Único, que é um programa que contribuiu de forma decisiva na melhoria de vida de milhões de moradores da Região Metropolitana do Rio de Janeiro."

    Já o secretário de Transportes, Rodrigo Vieira ressaltou a importância da manutenção do benefício para a população, mesmo diante da crise no Rio. "A manutenção da operação do Bilhete Único, mesmo no momento mais grave da crise financeira, é a garantia do direito de ir e vir da população utilizando esse benefício."

     

    Tags:
    empresas de transportes, dívida, Negociação, bilhete único, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Brasil, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar