04:34 19 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente Michel Temer durante visita à Barragem de Jucazinho

    Temer nega nome de Imbassahy para a Secretaria de Governo e alega erro de comunicação

    Beto Barata/PR
    Brasil
    URL curta
    612807

    Em primeira visita oficial a Pernambuco nesta sexta-feira (9), o presidente Michel Temer disse que o líder do PSDB, deputado Antônio Imbassahy era exatamente o que o governo precisava para liderar a Secretaria de Governo, porém negou que o convite tenha sido feito.

    Apesar de elogiar o deputado,Temer disse desconhecer como a informação foi divulgada e afirma que houve um equívoco de comunicação.

    "Imbassahy é um homem politicamente muito adequado, elegantíssimo no trato e é exatamente o que eu preciso lá na Secretaria de Governo, mas houve um equívoco de comunicação, porque antes que eu o convidasse, antes que eu fechasse esse assunto a imprensa noticiou, não sei por meio de quem, não sei quem vazou essas informações, mas o fato é que não estava fechada essa matéria."

    Temer disse que recebeu a sugestão do nome de Imbassahy para ocupar o lugar deixado pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) com muito agrado, mas que recusou a indicação, confessando que houve "uma certa" reação negativa por parte dos partidos do Centrão ao nome de mais um tucano a se tornar ministro devido a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados. "É que estamos em processo de eleições lá na Câmara Federal e alguns partidos acharam que isso poderia favorecer uns ou outros candidatos. Daí a razão pela qual eu disse: olha, já tinha dito antes, vamos primeiro e é o que se faz com habilidade, vamos primeiro costurar os apoios todos necessários de todos os setores da base."

    Os Partidos do Centrão querem que Temer adie o anúncio do novo secretário de Governo para depois da eleição da Câmara, que acontece em fevereiro de 2017.

    Michel Temer ainda afirmou que não há crise no governo, mesmo com as saídas de ministros como Geddel, acrescentando que enquanto se fala em crise, o governo trabalha.

    Em Pernambuco, Temer foi recebido em Caruaru pelo governador Paulo Câmara, seguindo juntos para a cidade de Surubim, onde vistoriaram a barragem de Jucazinho, manancial considerado em colapso devido a falta de chuvas. Na ocasião, o presidente assinou ordens de serviço para manutenção do sistema e a liberação de R$ 33,7 milhões para a construção de uma adutora emergencial que vai interligar o rio Siriji aos Sistemas Integrados Palmeirinha e Jucazinho.


    Tags:
    cargo, equivocado, anúncio, Ministério da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, Antonio Imbassahy, Michel Temer, Pernambuco, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik