13:06 11 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Paracatu, Minas Gerais

    A Arca de Noé de Mariana

    Ministério Público/Alex Lanza
    Brasil
    URL curta
    Tragédia de Mariana: bastidores de um aniversário trágico (12)
    120

    Sputnik Brasil conversou sobre o tema com a tradutora Luciana Pordeus, de Belo Horizonte, que, logo após a tragédia ambiental, montou uma campanha no Facebook, para ajudar animais de pequeno e grande porte, nas áreas atingidas pelos rejeitos da barragem.

    Segundo Luciana Pordeus, a campanha contou com grande adesão e salvou a vida de centenas de animais, muitos dos quais foram devolvidos aos seus donos, ou adotados. 

    "Nós focamos na ajuda a animais de pequeno e grande porte, prejudicados pelo acidente da barragem. As pessoas perderam as casas e não conseguiam recuperar os animais. A empresa não fez nada a esse respeito também. Então eu, minha amiga Rita e meu marido fomos para Mariana, e começamos uma campanha no Facebook para arrecadar recursos para medicação", explicou a interlocutora da Sputnik. 

    Segundo Luciana Pordeus, a campanha se revelou um sucesso, ainda mais depois da adesão da jornalista Cora Rónai na divulgação.

    "A campanha teve uma adesão incrível. Ainda mais depois que a jornalista Cora Rónai, muito ligada à causa animal, nós amparou também. Depois do seu apoio tivemos milhares de acesso e arrecadamos quase 20 mil reais".

    "Conseguimos montar uma farmácia, oferecer apoio que a empresa não dava. Contamos com apoio de voluntários. A empresa somente cedeu o espaço e começou a participar financeiramente meses depois", conta a tradutora.

    Como muitas famílias não podiam levar os seus animais para os alojamentos oferecidos pela Samarco — inclusive os animais de grande porte, cujas instalações ficaram destruídas — os voluntários montaram um abrigo que mais parecia uma Arca de Noé. 

    "As nossas equipes resgatavam todos os tipos de animais: tinha galinha, coelho, pato, cavalo, boi, cachorro, gato, jabuti, algumas aves, qualquer animal afetado pelo rompimento da barragem, ou que as famílias não puderam levar para os hotéis oferecidos pela empresa. Abrigamos no nosso galpão mais de 800 animais". 

    "No início de janeiro, a Samarco assumiu uma parte dessa operação. Mas a participação da empresa, que já não foi muito grande com as pessoas, foi menor ainda com os animais," lamentou Luciana Pordeus.

    Apesar das dificuldades, a história teve um final feliz. Praticamente todos os animais foram devolvidos aos seus donos ou adotados.

    O dia 5 de novembro de 2016 marca o primeiro aniversário de um dos episódios mais tristes da história recente do Brasil, a tragédia de Mariana. Há um ano, o rompimento de uma barragem de rejeitos de mineração da companhia Samarco — empreendimento conjunto da brasileira Vale S.A. e a anglo-australiana BHP Billiton — mudaria para sempre não apenas a paisagem de Mariana e a vida de seus moradores, mas destruiria diversos ecossistemas ao longo de dezenas de municípios de Minas Gerais e Espírito Santo, levando inclusive à morte de 19 pessoas.

    Tema:
    Tragédia de Mariana: bastidores de um aniversário trágico (12)

    Mais:

    Mariana: o impacto da tragédia nas manchetes pelo mundo
    MPF denuncia 21 pessoas por homicídio doloso em desastre de Mariana
    Ministério Público: tragédia em Mariana foi causada por obras da Samarco
    Tags:
    defesa dos animais, animais, Samarco, Luciana Pordeus, Mariana, Minas Gerais, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik