09:21 24 Junho 2017
Ouvir Rádio
    Encerramento da conferência da Comunidade de Países de Língua Portuguesa

    Países lusófonos começam a afiar a língua

    Marcos Corrêa / PR
    Brasil
    URL curta
    0 48233

    Aberta na segunda-feira, 31, e encerrada nesta terça-feira, 1º, em Brasília, a 11ª Conferência de Chefes de Estado e de Governo de Países de Língua Portuguesa (CPLP) assinou diversos acordos e memorandos para aproximar os nove países membros do bloco, que chega aos 20 anos.

    O Brasil, eleito para comandar a entidade nos próximos dois anos, apresentou uma série de estudos de cooperação com vários países, como Angola (na área energética), Cabo Verde (transporte aéreo), entre outros. Um dos temas principais do encontro foi aperfeiçoar e expandir o Acordo Ortográfico entre países lusófonos. Hoje esse acordo já está vigente no Brasil, em Portugal e em Cabo Verde, e em fase de ratificação em Angola e Moçambique. 

    De acordo com o subsecretário para África e Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Fernando Abreu, o acordo vai facilitar a divulgação da língua portuguesa e determinadas tarefas como a publicação de livros, na medida em que haverá uma ortografia única, respeitando-se, porém, as expressões regionais de cada país.

    Para Evanildo Bechara, professor, gramático, filólogo, membro da Academia Brasileira de Letras (ABL) e doutor honoris causa pela Universidade de Coimbra, a unificação ortográfica é muito importante não só para a parte didática do ensino da língua aos seus falantes e escritores, mas também para a difusão da língua portuguesa no mundo. 

    "A prova disso é que estamos há mais de 100 anos trabalhando nessa unificação. Os primeiros passos científicos da ortografia começaram em 1911 e daí aos nossos dias. Antigamente só Portugal e Brasil  eram os países de língua portuguesa oficial. Com as antigas colônias hoje emancipadas em países independentes, estamos tentando a unificação ortográfica."

    Bechara diz que, após estabelecidas as regras de ortografia, o trabalho se volta agora aos vocabulários ortográficos, que se dividem em dois grandes grupos: os vocabulários ortográficos nacionais e o vocabulário ortográfico comum (VOC), que reúne as particularidades e as pequenas divergências existentes no plano da ortografia. 

    "Estamos esperando a chegando de um grupo de especialistas do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP) que se reunirá com nossos especialistas na ABL, principalmente nossos dicionaristas e lexicógrafos que trabalham na confecção do acordo ortográfico, para discutir alguns pontos para a saída desses vocabulários nacionais e comum para todos os países da lusofonia."

    Mais:

    Temer cita Margaret Thatcher ao defender cortes de gastos em encontro da CPLP
    Brasil abre conferência de países de língua portuguesa
    Tags:
    África, padronização, linguagem, ortografia, idiomas, acordo, Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP), ABL, Universidade de Coimbra, Evanildo Bechara, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik