23:39 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Polícia Federal

    PF prende políticos por compra ilegal de votos nas eleições municipais de Saquarema

    Tânia Rêgo/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    620

    A Polícia Federal (PF) prendeu nesta terça-feira (18) políticos de Saquarema, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro acusados de compra de votos nas eleições municipais deste ano.

    Durante a operação foram presos, o presidente da Câmara de Saquarema, Romacart Azeredo de Souza, o vice-presidente, Vanildo Siqueira da Silva, o Kiliquinho, os vereadores Paulo Renato Teixeira Ribeiro  e Guilherme Ferreira de Oliveira, o Pitiquinho. Todos foram candidatos e reeleitos em outubro. 

    Ainda foi detido, o pai do vereador Guilherme, o candidato Hamilton Nunes de Oliveira, o Pitico, que foi derrotado nas eleições municipais. Ao todo a Justiça Eleitoral do município expediu, cinco mandados de prisão, além de sete de condução coercitiva.

    De acordo com o delegado da Polícia Federal, Daniel França, os presos realizavam boca de urna e compravam votos em troca de benefícios, como distribuição de medicamentos e combustível para veículos. Também estão sendo investigados pela Polícia Federal, alguns médicos da região por fornecimento de atestados e receitas controladas em branco mas com suas assinaturas, além de benefícios em um hospital de grande porte.

    "Foi determinado por decisão judicial, que todo o sigilo do inquérito policial fosse aberto nessa fase para a imprensa, para que todos ficassem sabendo, do povo, o que os mandatários, que recebem salários provenientes dos seus impostos estão fazendo com eles."

    Um pastor também foi conduzido para prestar esclarecimentos. Ele é suspeito de negociar com os políticos a presença deles em cultos na igreja para oferecer benefícios em troca de votos.

    Os presos vão ser indiciados por associação criminosa, com pena de 1 a 3 anos; corrupção eleitoral, com pena de reclusão de até 4 anos; transporte irregular de eleitores, com detenção de 4 a 6 anos; boca de urna, com pena de 6 meses a um ano e crime de emissão de atestado médico falso, com pena de 1 mês a 1 ano.

     

    Tags:
    eleições 2016, eleições municipais, compra de votos, presos, Polícia Federal, Vanildo Siqueira da Silva, Romacart Azeredo de Souza, Saquarema, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik