23:40 21 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    71ª Assembleia Geral da ONU (31)
    323
    Nos siga no

    Em sua estreia como presidente do Brasil na 71ª Assembleia Geral da ONU, nesta terça-feira, em Nova York, Michel Temer disse que o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff foi feito em perfeito cumprimento da Constituição, e que o Brasil vive uma fase de depuração política.

    Com um discurso que abrangeu vários assuntos, Temer disse que o Brasil tem um Judiciário Independente, um Ministério Público atuante e órgãos do Executivo e do Legislativo que cumprem seu dever. No âmbito externo, condenou o crescimento da xenofobia no mundo, defendeu direitos das minorias e refugiados e, no campo econômico, pediu o fim do protecionismo na área agrícola.

    No Brasil, o discurso de Temer foi acompanhado pelo secretário adjunto de Assuntos Internacionais da CUT, Ariovaldo Camargo, que não viu novidades na fala do presidente.

    "Foi a reafirmação daquilo que eles vêm tentando convencer uma parcela da população brasileira e os chefes de estado que acompanharam todo o processo de impeachment da presidenta Dilma que o afastamento foi feito dentro de um processo legal. Na verdade, ele está tentando convencer a si próprio que aquilo que foi feito no Brasil obedeceu a regras democráticas, mas sabe, como jurista inclusive que é, que o afastamento foi político ou baseado em provas, até por que até o presente momento não há nenhuma comprovação que ela tenha cometido qualquer ilícito que tivesse levado ao afastamento de seu mandato."

    Camargo disse que a CUT está muito apreensiva com os rumos que a política externa brasileira está tomando a partir das declarações do chanceler José Serra e de Temer. Ele também observou que o fato de o presidente brasileiro não ser recebido pelo presidente americano é sintomático.

    "Não vimos por parte do presidente Barack Obama uma menção de reconhecimento expresso do governo Temer. A política externa brasileira vai passar por grandes tropeços. Basta ver a declaração do Serra que não se lembrava da composição do Brics, quando fez observações atabalhoadas sobre essa questão", disse Camargo preocupado também com o futuro do Mercosul após as inúmeras ações de Brasil, Paraguai e Argentina de isolarem a Venezuela do bloco.

    Tema:
    71ª Assembleia Geral da ONU (31)

    Mais:

    Na ONU, Temer defende direitos de refugiados e que acolhimento é responsabilidade mundial
    Temer tem encontro inédito com presidente de Portugal em Nova York
    Tags:
    constituição, política externa, assembleia, discurso, democracia, impeachment, CUT, Mercosul, BRICS, ONU, José Serra, Michel Temer, Barack Obama, Dilma Rousseff, Nova York, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar