20:51 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa extraordinária para votar a Denúncia 1/2016, que trata do julgamento do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Roussefff

    Principal testemunha da acusação é ouvida apenas como informante na sessão de impeachment

    Edilson Rodrigues/Agência Senado
    Brasil
    URL curta
    0 11

    A retomada da sessão de julgamento do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff foi marcada por um questionamento do advogado da defesa, José Eduardo Cardozo, que impediu que a primeira e principal testemunha da acusação no processo fosse ouvida nesta condição, informou Agência Brasil.

    O procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, Júlio Marcelo de Oliveira, está sendo ouvido apenas como informante.

    O principal argumento usado por Cardozo que convenceu o presidente da sessão Ricardo Lewandowski a dispensá-lo como testemunha foi o de que o procurador participou do movimento “Vem pra Rampa”. Por meio desse movimento Júlio Marcelo teria pressionado, segundo Cardozo, ministros do Tribunal de Contas da União a rejeitar as contas de Dilma. “O procurador atuou como militante político de uma causa”, disse o advogado da petista questionando sua insenção como testemunha no processo.

    Para impedir que Oliveira fosse ouvido Cardozo destacou que ele foi o formulador da tese das "pedaladas" e que ele é o "autor intelectual" do processo de impeachment. O advogado acrescentou que, se um membro do Ministério Público se pronuncia de fato e de direito sobre o tema do processo, ele se torna impedido de testemunhar.

    Cardozo disse ainda que Júlio Marcelo de Oliveira não é isento e o acusou de ter se reunido com os autores do processo, os advogados Janaína Paschoal, Miguel Reale Júnior e Hélio Bicudo.

    Janaína Paschoal classificou as acusações de Cardozo como "ofensas" e "difamação" e afirmou que conheceu o procurador na Comissão de Impeachment.

    Mais:

    Personalidades internacionais repudiam impeachment de Dilma
    Roberto Requião é contra impeachment, pois causará danos econômicos para os brasileiros
    Aliado de Dilma, senador Lindbergh promete guerra se votação do impeachment for antecipada
    Acompanhe o processo de Impeachment de Dilma Rousseff
    Tags:
    impeachment, Senado Federal, Janaína Paschoal, Dilma Rousseff, Júlio Marcelo de Oliveir, Ricardo Lewandowski, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik