14:46 21 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Michel Temer durante Cerimônia de liberação de recursos para Educação Básica e Superior
    Beto Barata/PR

    Temer anuncia aumento no Bolsa Família e libera recursos para a Educação

    Brasil
    URL curta
    312

    O Presidente interino Michel Temer assinou decreto nesta quarta-feira (29) que reajusta em 12,5% o benefício médio do Bolsa Família, programa de transferência de renda do Governo Federal, para 14 milhões de famílias de baixa renda no Brasil. Temer ainda anunciou a liberação de R$ 742 milhões para a educação básica e superior.

    Durante discurso, Michel Temer ressaltou que a educação e o desenvolvimento social do país são prioridades de seu governo interino. Para Temer, enquanto houver extrema pobreza no país programas como o Bolsa Família serão mantidos. Temer destacou ainda, que o governo está trabalhando de forma incansável para retomar a geração de emprego e renda no país.

    “O primeiro direito social é o direito ao emprego, e nós temos que trabalhar ativamente para que ao longo desse período, nós possamos reduzir o número de desempregados, mas ao mesmo tempo não podemos descurar dos temas sociais sempre muito ingentes no nosso país, que é o tema da educação, e o tema da pobreza absoluta. Por isso que nós resolvemos fazer  uma espécie de solenidade para isso. Para revelar ao país que o governo está trabalhando ativamente.”

    Já o ministro interino do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, explicou que o programa estava sem reajuste há dois anos, e que o aumento de 12,5% é maior do que os 9% previstos pelo governo da presidenta afastada Dilma Rousseff, além de estar acima da inflação, o que recuperaria o poder de compra dos beneficiários.

     

    Osmar Terra ainda anunciou que o governo está preparando uma proposta para que as famílias beneficiárias do Bolsa Família não dependam somente do benefício, mas que haja uma inclusão produtiva para que as famílias atendidas pelo programa possam se desenvolver financeiramente.

    “Bolsa família não pode ser só um reajuste e só uma questão do repasse de renda para manter as pessoas acima da linha da pobreza. Ele tem que ser um programa também de emancipação das famílias, que as famílias possam ter a sua própria renda e não precisarem desse benefício. Não pode ser um sonho das pessoas viver do Bolsa Família. É uma maneira de atendê-las na emergência da sua vida, para que elas não passem fome e necessidades maiores, para melhorar a sua qualidade de vida. Estamos fazendo uma proposta, que em breve vai ser anunciada, de inclusão produtiva, de trabalhar na ponta dos municípios, junto com os prefeitos, estimulando-os de diversas formas, e prêmios para que as famílias do Bolsa Família tenham oportunidade de melhorar sua renda.”

    Na parte de Educação, Michel Temer anunciou ampliação do FIES, o Financiamento Estudantil, que terá mais 75 mil vagas. Sobre os R$ 742 milhões para a educação, o ministro interino da pasta, Mendonça Filho, explicou que os recursos vão ser usados na conclusão de obras em escolas e creches, e na finalização de construções paralisadas no país. Mendonça Filho ainda explicou que a partir de agora o repasse de verbas para pequenas despesas vai ser feito de forma direta para as escolas.

    “Fazer com que essas obras sejam retomadas, que as creches possam ser entregues, as escolas concluídas, ao mesmo tempo anunciamos a liberação de recursos dentro do Programa PDDE, que libera recursos diretamente para escolas, lançando uma modalidade nova onde a direção das escolas e a unidade que receberá os recursos para manutenção e pequenas benfeitorias nas unidades educacionais possam ter um cartão em cooperação com o Banco do Brasil, onde poderão honrar essas despesas de manutenção e de qualificação das escolas de todo o Brasil.”

    O reajuste do Bolsa Família vai começar a ser pago a partir de 17 de julho. Segundo o governo, o total gasto com o Programa vai passar de R$ 2,23 bilhões para R$ 2,5 bilhões.

    Tags:
    programas sociais, bolsa-família, recursos, investimentos, Ministério do Desenvolvimento Social, Ministério da Educação, governo brasileiro, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik