20:38 15 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Senador Humberto Costa - PT/PE

    Humberto Costa: Governo interino e sua base não querem que verdade venha à tona

    Brasil
    URL curta
    652

    “A rejeição, pelo relator Antônio Anastasia (PSDB-MG), do pedido da defesa da Presidente Dilma Rousseff para inclusão no processo de impeachment da transcrição das conversas gravadas entre Sérgio Machado [ex-presidente da Transpetro] e políticos do PMDB é um demonstrativo de que o real objetivo do afastamento da presidente é tirá-la do poder.”

    As palavras são de Humberto Costa (PT-PE), líder do Partido dos Trabalhadores no Senado Federal, a propósito do pedido do defensor da presidente, o ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, para inclusão no processo da transcrição daquelas gravações.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, o Senador Humberto Costa afirmou que “o golpe contra a presidente da República está cada vez mais nítido” e que “as chamadas pedaladas fiscais foram um mero pretexto para tirá-la do comando do Governo”.

    Para Humberto Costa, tudo que está vindo a público com a revelação das gravações feitas por Sérgio Machado “renova as esperanças em uma possível reversão de expectativa pelo resultado do julgamento do processo de impeachment da presidente da República”.   

    “Nosso entendimento é de que o Governo interino e seus apoiadores no Senado Federal não querem que a verdade venha à tona e que haja o reconhecimento claro de que não houve uma justa causa para que houvesse esse processo de impeachment instalado. Ou seja, não somente as atitudes do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, como também as articulações políticas relatadas pelo Senador Romero Jucá demonstram claramente que foi um processo político com o objetivo de afastar o PT do Governo e fazer com que as mesmas forças que durante anos governaram o Brasil pudessem voltar e aplicar um programa totalmente antipopular ao nosso país.”

    Em relação à decisão do relator Antônio Anastasia – se prejudica o direito de defesa da Presidente Dilma Rousseff –, o Senador Humberto Costa garante que sim, “porque não somente ele [Anastasia] rejeitou a inclusão dessas gravações como não aquiesceu a vários ofícios e requerimentos que nós apresentamos, solicitando perícias, produção de provas. Além do mais, ele decidiu reduzir o período em que a Comissão vai trabalhar, quando reduziu o prazo para as alegações finais da defesa e da acusação”.

    O Senador Humberto Costa acrescenta:

    “Está cada vez mais claro que se trata de um processo cujo objetivo é apear do poder uma presidente eleita pelo povo e colocar em seu lugar alguém sem qualquer legitimidade.”

    Finalmente, a respeito da rejeição à proposta de realização de uma auditoria econômica, financeira e contábil feita por uma consultoria internacional nas contas da Presidente Dilma Rousseff, o senador diz que esse foi mais um pedido da defesa e que Antônio Anastasia rejeitou de pronto:

    “É mais uma demonstração de que não há nenhuma preocupação de se buscar a verdade. É apenas se fazer esse processo andar e consumar o golpe.”

    Mais:

    Comissão do Impeachment vota requerimentos sob protestos de senadores partidários de Dilma
    Comissão quer reduzir prazo de defesa de Dilma e agilizar decisão do impeachment
    Tags:
    impeachment, democracia, golpe de Estado, Senado Federal, PT, Eduardo Cunha, Romero Jucá, José Eduardo Cardozo, Sérgio Machado, Antonio Anastasia, Dilma Rousseff, Humberto Costa, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar