00:02 23 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1292
    Nos siga no

    A Advocacia-Geral da União (AGU) apresentou hoje ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de liminar para suspender a autorização concedida pela Câmara dos Deputados para a instauração do processo de impeachment de Dilma Rousseff, com base em acusações de "desvio de finalidade" no ato praticado pelo ex-presidente da Casa, Eduardo Cunha.

    Segundo o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, esse e todos os outros atos praticados por Cunha desde o momento em que ele se tornou réu do STF (março) deveriam ser anulados, por serem “eivados de nulidade insanável” ou pelo fato de que o peemedebista não tinha mais condições de exercer suas funções com imparcialidade a partir de então. 

    Eduardo Cunha foi afastado da presidência da Câmara e teve o seu mandato de deputado suspenso na última quinta-feira, 5, por decisão do Supremo Tribunal Federal, após uma liminar concedida pelo ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato, que entendeu que o parlamentar estaria tentando interferir nas investigações. 

    Mais:

    OEA quer consultar Corte de Direitos Humanos sobre impeachment de Dilma
    Votação do impeachment no Senado está mantida para esta quarta-feira
    Leitura de relatório do impeachment é concluída: votação deverá ser realizada em 48 horas
    Dilma chama impeachment de "interrupção ilegal e usurpadora" do seu mandato
    Tags:
    impeachment, AGU, STF, Teori Zavascki, José Eduardo Cardozo, Eduardo Cunha, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar