13:50 16 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Economia brasileira foi prejudicada por manipulação das taxas de câmbio

    Dilma assina decreto que eleva salário mínimo em 11,6%

    Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
    Brasil
    URL curta
    274

    O salário mínimo terá um aumento de 11,6% e será de R$ 880 a partir de 1º de janeiro de 2016.

    O decreto com o novo valor já foi assinado pela presidente da República, Dilma Rousseff, e será publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quarta-feira, 30.

    Em nota, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República diz que, com o novo valor, a presidente Dilma Rousseff "dá continuidade à sua política de valorização do salário mínimo" e que o reajuste terá impacto direto sobre cerca de 40 milhões de trabalhadores e aposentados.

    Atualmente, o salário mínimo é de R$ 788. O porcentual do aumento concedido pelo governo está um pouco acima da inflação, que em 2015 já acumula alta de 10,71%.

    O ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, afirmou que o reajuste do salário mínimo assegura uma melhora de renda ao trabalhador brasileiro. "(O reajuste) assegura a 48 milhões de brasileiros uma melhoria da renda, o que significa ampliação de mercado, qualidade de vida e desenvolvimento econômico", disse Rossetto.

    Inicialmente, o Congresso havia aprovado o salário mínimo de 2016 em R$ 871 reais. Segundo o ministro, o valor foi atualizado para R$ 880 devido ao aumento da inflação.

    Por lei, o cálculo de aumento do mínimo leva em conta a inflação do último ano, mais a taxa de evolução do Produto Interno Bruto (PIB) do penúltimo ano. Para o valor de 2016, que passa a valer a partir de 1º janeiro, foi considerado o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que está neste mês em 11,57%. O crescimento do PIB, que poderia proporcionar um ganho real (além da inflação) ao trabalhador, ficou em apenas 0,1% em 2014.

    Mais:

    Retrospectiva 2015: os fatos políticos que marcaram o ano do Brasil e da América Latina
    12 momentos que abalaram a Internet brasileira em 2015
    Opinião: instabilidade no Brasil não é boa para ninguém
    Brasil procura harmonizar diferenças internas do Mercosul
    Tags:
    economia, aumento, reajuste, salário mínimo, Miguel Rossetto, Dilma Rousseff, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik