17:01 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Deputado José Guimarães (PT- Ceará)

    José Guimarães: Planalto quer acelerar Conselho de Ética e ação de impeachment

    Luis Macedo / Câmara dos Deputados
    Brasil
    URL curta
    421
    Nos siga no

    O líder do governo na Câmara afirmou que a ordem do Palácio do Planalto para a base aliada é imprimir ritmo acelerado à votação de matérias de ajuste fiscal, ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e às investigações no Conselho de Ética da quebra de decoro parlamentar de Eduardo Cunha.

    Na manhã desta segunda, líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (CE) participou, no Palácio da Alvorada, da reunião semanal de coordenação política do governo. O encontro foi, comandado por Dilma, contou com a presença de oito ministros, entre os quais, alguns dos mais próximos à presidente da República, informou o jornal O Globo.

    “Para o governo, votação, votação, votação. Ritmo acelerado para tudo, do Conselho de Ética, ao impeachment às matérias que estão tramitando. O Supremo vai decidir [sobre o processo de impeachment] e o que decidir está decidido”, disse Guimarães.

    Na próxima quarta (16), o Supremo se reúne para julgar uma ação do PCdoB que questiona o acolhimento por Eduardo Cunha do pedido de impeachment de Dilma. Na mesma sessão, os ministros devem discutir ainda se anulam ou não a eleição da chapa da oposição para a comissão especial que vai dar parecer pela continuidade ou não do processo.

    Na visão do governo, a eleição foi irregular porque ocorreu por votação secreta. “O que o Supremo decidir caberá a nós cumprir. Criaram uma votação secreta com chapa avulsa. O Supremo foi acionado. Não é que ele está se metendo. Alguém acionou e cabe ao Supremo deliberar. Para mim, tinha que ser anulada [a eleição para a comissão especial]”, disse José Guimarães.

    Perguntado se o governo vai continuar a defender que não haja recesso, para acelerar o processo de impeachment, o petista afirmou: "É uma decisão que cabe aos presidentes do Senado e da Câmara."

    Enquanto o Congresso aguarda a decisão do Supremo para prosseguir com o processo de impeachment de Dilma, o Conselho de Ética tem reunião marcada para esta terça (15) destinada à leitura do parecer do deputado Marcos Rogério (PDT-RO) sobre a continuidade ou não do processo que investiga Eduardo Cunha.

    A expectativa é que a sessão seja tumultuada, como foram as últimas reuniões do Conselho de Ética. Aliados de Cunha prometem pedir a destituição do presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PSD-BA), e defender que Fausto Pinato (PRB-SP), antigo relator do processo, seja impedido de votar no caso. Eles alegam que ambos anteciparam voto a favor da cassação do mandato do presidente da Câmara.

    Mais:

    Tempo quente: Deputados saem no tapa na abertura de reunião do Conselho de Ética da Câmara
    Wadih Damous: Ao paralisar processo de impeachment, STF agiu contra golpistas
    9 provas de que Cunha não atendeu 'ao pedido das ruas' com o impeachment
    Relator do Conselho de Ética tem 10 dias para decidir por processo contra Cunha
    Tags:
    impeachment, Palácio do Alvorada, Supremo Tribunal Federal, Câmara dos Deputados, Congresso Nacional do Brasil, Marcos Rogério, Fausto Pinato, José Carlos Araújo, José Guimarães, Eduardo Cunha, Dilma Rousseff, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar