16:34 21 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Câmara dos Deputados do Brasil

    Crime de terrorismo no Brasil terá pena de até 30 anos de reclusão

    Luis Macedo / Câmara dos Deputados
    Brasil
    URL curta
    434351

    A Câmara dos Deputados aprovou o texto final do projeto de lei do Governo que tipifica no Código Penal o que define o crime de terrorismo no Brasil, com pena de 12 a 30 anos, em regime fechado.

    De acordo com a proposta aprovada, é considerada terrorismo a prática de atos cometidos por um ou mais indivíduos em razão de discriminação de raça, cor, etnia, religião e ainda xenofobia, e que coloquem em perigo pessoas, patrimônio ou a paz pública.

    Atualmente, a legislação brasileira não prevê o crime de terrorismo, sendo seus atos enquadrados em outros tipos de crime.

    Uma das emendas ao projeto rejeitadas no Plenário e defendida pelo Deputado Davidson Magalhães (PCdoB-BA) sugeria a punição de agentes do Estado que provocassem terror contra cidadãos ou grupos que estivessem participando de manifestações políticas legítimas. De acordo com a emenda, os agentes seriam julgados por terrorismo e sujeitos à pena de até 30 anos.

    O Deputado Nilson Leitão (PSDB-MT) chamou a atenção para o fato de que a emenda do PCdoB beneficiaria os vândalos inseridos nas manifestações. "Essa emenda é um absurdo, porque quer agora penalizar o policial que vai, no seu trabalho, impedir talvez alguns vândalos no meio de um movimento, porque o policial não vai lá agredir quem está passeando, fazendo o seu movimento de forma pacífica. Agora, na hora em que você coloca essa dificuldade para o policial, obviamente os vândalos de um movimento qualquer vão se aproveitar disso."

    Agora, a proposta que tipifica o terrorismo vai para análise do Senado.

    Com o fim desta votação, a pauta do Plenário fica liberada para que os deputados possam votar na próxima semana o projeto que corrige o Fundo de Garantia pelo mesmo índice da poupança.

    Mais:

    Sindicato dos Taxistas de SP descarta manifestações de rua contra serviço Uber
    Manifestações contra terceirização são realizadas em pelo menos 21 estados e no DF
    Ministros de Dilma respondem às manifestações de domingo
    Dilma Rousseff: Manifestações devem ser recebidas com tranquilidade
    Dilma: manifestações devem ser recebidas com “absoluta tranquilidade”
    Tags:
    mega eventos, lei antiterrorista, manifestações, PSDB, Câmara dos Deputados, Nilson Leitão, Davidson Magalhães, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik