05:01 19 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Presidenta Dilma Rousseff e o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, durante encontro com os mascotes das Olimpíadas do Rio de Janeiro

    Governo analisa liberação de vistos para atrair norte-americanos no ano olímpico

    Roberto Stuckert Filho/ PR
    Brasil
    URL curta
    0 27

    O Governo Federal quer que os Jogos Olímpicos 2016 sejam uma grande chance de promoção do Brasil no exterior, com o objetivo de estimular o turismo. No Rio para ver as obras para o evento, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, concedeu entrevista coletiva em que fala da liberação de vistos para os americanos no ano olímpico.

    O ministro do Turismo ressaltou que a Copa do Mundo foi importante, mas que as Olimpíadas têm um peso muito maior, sendo talvez a última grande chance para o Brasil se firmar no ranking dos países mais visitados do mundo, em que atualmente ocupa o 40.º lugar, e colocar o setor como parte definitiva da agenda econômica do país.

    “É uma grande, talvez uma das mais raras oportunidades que nós teremos”, disse Henrique Eduardo Alves. A Copa do Mundo foi importante, mas isso aqui [a Olimpíada] é dez vezes maior. São muito mais países aqui, gente do mundo inteiro. Eu acho que é uma oportunidade única, e o Brasil não pode perder. Eu acho que o turismo tem que fazer parte da agenda econômica deste país. Tem que se entender que o turismo é uma atividade que interage e permeia 52 setores da nossa indústria, a área que mais gera emprego e renda.”

    Questionado pela mídia, Henrique Eduardo Alves falou sobre a questão da segurança pública no Rio de Janeiro, que pode ser um problema e afastar os turistas dos Jogos Olímpicos. “Eu acho que esse é o maior problema de um país do tamanho do Brasil, com suas carências, que são crônicas, não são de hoje, nem são de ontem. O primeiro item que um turista observa ao visitar um país e aproveitar seu lazer, é a questão de segurança pública. Esse é um desafio de todos os Estados, do país como um todo, e que o Governo está tentando, através do ministro da Justiça e de outras autoridades, tentar minimizar. É um grande esforço, e eu acho que a Olimpíada pode mostrar até lá o Brasil que nós queremos ter mais seguro, e com melhor qualidade dos serviços públicos. Tem tudo para  o Rio se mostrar como o modelo de Brasil que nós queremos, na organização, na competência, na sensibilidade e no cuidado com as pessoas.”

    Como uma das formas de atrair mais turistas para o país, uma das ideias anunciadas pelo ministro do Turismo é a liberação temporária de vistos para os americanos durante o ano olímpico, para ter início já a partir deste mês de junho e vigorar até o final das Olimpíadas. Os Estados Unidos, atualmente, são o segundo país que mais envia turistas ao Brasil, atrás apenas da Argentina, e se a iniciativa der certo o benefício poderá se estender para outros países. “Uma coisa importante que eu estou lutando para conseguir junto com o Prefeito Eduardo Paes, a classe política e a Presidenta Dilma é a criação da isenção de visto para o mercado americano. Seria uma excepcionalidade. As Olimpíadas já darão aos atletas e seus familiares [o visto], mas poderemos expandir durante esse período àqueles que queiram vir do mercado americano. A partir daí, caso seja uma experiência vitoriosa, isso possa se ampliar. O Brasil não pode ter apenas 6 milhões de turistas ao ano. Um país como a Tailândia, de 6 milhões de habitantes, recebeu no ano passado 24 milhões de turistas. A Croácia, com 24 milhões de habitantes, recebe 11 milhões de visitantes. Nós temos que mudar isso aqui.”

    Para o prefeito do Rio, Eduardo Paes, é a oportunidade de vender uma imagem do Rio e do Brasil que não seja só de festa, mas de mostrar que é um país com potencial econômico-comercial-industrial e de capacitação dos brasileiros. “É uma superoportunidade que o Brasil terá, dada a quantidade de pessoas que vêm para as Olimpíadas, dada a divulgação, de vender um país diferente”, disse o prefeito. “Não só um país de gente bonita, aberto a todos, com capacidade de fazer festas, mas um país que tem uma indústria produtiva fantástica, com capacidade de realizar, e um país com instituições consolidadas.”

    Eduardo Paes também comentou a questão da liberação do visto para os norte-americanos durante o ano olímpico e se o caso poderia esbarrar na questão da reciprocidade diplomática entre os países, já que os Estados Unidos não dão o mesmo direito aos brasileiros. Para o prefeito do Rio, como a situação é pontual, ele não acredita que haverá aspectos burocráticos para impedir o processo, além de trazer benefícios de expandir o turismo do Brasil para o mercado americano. “É muito importante essa colocação do ministro em relação ao visto americano. As Olimpíadas serão uma oportunidade fantástica de a gente abrir o turismo brasileiro para o mercado americano. Essa é uma decisão do Poder Executivo, não depende de legislação. Se você tem o ministro do Turismo do Brasil de maneira tão clara, enfática, defendendo essa posição, já é um avanço enorme.”


    Mais:

    Brasil vai aumentar número de vistos para imigrantes haitianos
    Venezuela adota regime de vistos com EUA
    Brasil investe em cibersegurança para Rio 2016
    Greve de trabalhadores de obras olímpicas pode pôr em risco os Jogos do Rio 2016
    Tags:
    esportes, turismo, vistos, Olimpíada, Jogos Paralímpicos, Jogos Olímpicos, Copa do Mundo, Dilma Rousseff, Henrique Eduardo Alves, EUA, Brasil, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik