17:42 29 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    104
    Nos siga no

    O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, participou na quinta-feira (14) da Cúpula Global das Mulheres, em São Paulo, e aproveitou para declarar que o Brasil está de “de braços abertos” para receber empreendedores. Ao mesmo tempo, defendeu a necessidade de evitar medidas que possam exigir novos impostos, como a que altera o fator previdenciário.

    Segundo o ministro, o tema deve ser discutido em profundidade com base em números e nos impactos que deverá causar.

    “Tem muita gente que diz que a retirada do fator previdenciário vai aumentar as despesas, portanto vai aumentar os impostos. E as pessoas têm de ter muito cuidado para quando votarem não criar uma nova necessidade de mais impostos”, disse ele.

    Ainda de acordo com Levy, o fator previdenciário tem funcionado bem no país até o momento, e a decisão do Congresso sobre a sua possível alteração ainda depende do Senado. “Temos um sistema bicameral. Nesse sistema, o Senado revê as medidas, exatamente se há uma necessidade de ter equilíbrio ou não. A gente não deve se pronunciar antes de o Senado também fazer a avaliação dele, até pela questão que foi levantada aqui, da necessidade de aumentar impostos, dependendo do que venha a ser decidido”, disse o ministro.

    Levy também afirmou que o governo tem se esforçado para aumentar o espaço das brasileiras nos ambientes de negócios. Citando dados sobre a proporção de mulheres em universidades do país, ele disse que em dez anos, entre 2000 e 2010, o número de brasileiras em instituições de ensino superior passou de 13% para 17%, enquanto que a proporção de homens cursando faculdades foi de 11% para 13%, ou seja, um crescimento menos expressivo do que o das mulheres. No entanto, as brasileiras ainda têm uma representação muito reduzida nos cargos públicos.

    A Cúpula Global das Mulheres é um fórum que há 25 anos reúne mulheres dirigentes de todo o mundo para uma série de palestras e debates acerca do papel da mulher contemporânea nas posições de liderança empresarial e administrativa. Este ano, o evento, que começou na quinta-feira e termina no sábado (16), conta com a participação de 30 ministras, 45 diretoras executivas e centenas de diretoras de empresas de quase 60 países.

    Mais:

    Mulheres na Guerra: a participação das enfermeiras brasileiras no front italiano
    As melhores estão no topo: mulheres líderes
    Ban Ki-moon condena violência contra mulheres
    Mulheres ganham 16,4% menos que homens na zona do euro
    Tags:
    impostos, fator previdenciário, feminismo, mulheres, Global Summit of Women, Cúpula Global das Mulheres, Joaquim Levy, São Paulo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar