06:27 19 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    10697
    Nos siga no

    O governo do democrata Joe Biden afirmou que os EUA vão enviar 1.000 soldados para o Afeganistão, elevando o número de forças norte-americanas no país para cerca de 6.000 no país.

    O ex-presidente dos EUA, o republicano Donald Trump, comentou neste domingo (15) a recente retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão, afirmando que a volta ao poder do movimento Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países) se tornou "uma das maiores derrotas da história norte-americana".

    O que [o presidente norte-americano] Joe Biden fez com o Afeganistão é lendário. Será uma das maiores derrotas da história norte-americana!

    Trump afirmou que é hora para o atual presidente Biden renunciar, "pelo que ele permitiu que acontecesse no Afeganistão, junto com a subida enorme da COVID, a catástrofe na fronteira, a destruição da independência energética e nossa economia paralisada."

    O ex-presidente norte-americano adicionou que a renúncia "não deveria ser um grande problema", dado que, segundo Trump, Biden "não foi eleito legitimamente em primeiro lugar!"
    Militantes do Talibã elevam bandeira do movimento
    © AP Photo / Gulabuddin Amiri
    Militantes do Talibã elevam bandeira do movimento

    O governo Biden afirmou que os EUA vão enviar 1.000 soldados para o Afeganistão, elevando o número de forças norte-americanas no país para cerca de 6.000 no país.

    Talibã reassume o poder

    Vinte anos após ter sido expulso do Afeganistão pelos EUA, o movimento Talibã assumiu o controle total da capital afegã, Cabul, levando o presidente afegão Ashraf Ghani a renunciar e deixar o país para evitar "derramamento de sangue".

    Um porta-voz do gabinete político do Talibã disse neste domingo (15) que o grupo não acredita que as forças estrangeiras vão repetir "sua experiência fracassada no Afeganistão novamente".

    "Agimos com responsabilidade em cada etapa e garantimos a paz com todos [...]. Estamos prontos para lidar com as preocupações da comunidade internacional por meio do diálogo", disse o porta-voz Mohammad Naeem à emissora Al Jazeera.

    O porta-voz acrescentou que o Talibã possui vários canais de comunicação com países e "queremos desenvolver esses canais".

    Mais:

    Embaixada dos EUA em Cabul incita norte-americanos a deixarem Afeganistão imediatamente
    EUA vão enviar 3 mil soldados ao Afeganistão para evacuar embaixada, diz Pentágono
    Militares do Irã estão em 'prontidão total' na fronteira com Afeganistão, diz comandante do IRGC
    Talibã cerca Cabul e está negociando com governo afegão transição de poder no Afeganistão
    Tags:
    Donald Trump, Joe Biden, EUA, Afeganistão, Cabul, Talibã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar