13:53 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6613
    Nos siga no

    Segundo analista, a administração Biden poderia adotar um enfoque mais duro até conseguir que os norte-coreanos realizem sua desnuclearização.

    Os primeiros passos do novo presidente norte-americano, Joe Biden, evidenciam o fato de que as relações entre os EUA, Coreia do Norte e Coreia do Sul poderiam "mudar significativamente", indica Konstantin Asmolov, analista de temas norte-coreanos da Academia Russa de Ciências.

    O analista também recordou que Biden se comprometeu a seguir pressionando pela desnuclearização da Coreia do Norte.

    "Em sua crítica à política de [Donald] Trump, afirmou que as cúpulas forneceram a Kim [Jong-un] o reconhecimento global que pretendia há tempos e os EUA não obtiveram nada. [Joe Biden] está adotando uma linha mais dura com o Norte que Trump, o que reduz as perspectivas de um grande avanço nas conversações sobre desnuclearização", observou.

    De acordo com Asmolov, esta atitude pode elevar a pressão sobre Pyongyang, e a nova administração norte-americana poderia também se opor à iniciativa de Seul para declarar oficialmente o fim da Guerra da Coreia (1950-1953) sem pré-condições relacionadas à desnuclearização da Coreia do Norte.

    "A decisão [de Trump] de suspender os exercícios militares conjuntos entre Coreia do Sul e EUA também poderia ser reconsiderada por Biden", adicionou.

    Asmolov recordou que, no dia 12 de novembro, o presidente sul-coreano Moon Jae-in manteve a primeira conversação telefônica com o então presidente eleito dos EUA, durante a qual ambos os líderes reafirmaram a importância da aliança entre os dois países e acordaram que se reuniriam em breve.

    Em conclusão, Asmolov observa que Moon elogiou a política de Trump, expressando a esperança de que a administração Biden siga essa linha.

    No entanto, o analista indicou que "a aparente brecha em suas percepções dos problemas da Coreia do Norte surgiu nesta primeira conversação. Apesar de Biden ressaltar a necessidade de eliminar a ameaça nuclear, Moon se concentrou na importância de desnuclearizar a península da Coreia".

    Mais:

    Ciao, dólar: Coreia do Norte proíbe transações em moeda estrangeira, diz mídia
    Kim Jong-un chama EUA de 'maior inimigo' e ameaça aumentar poderio nuclear da Coreia do Norte
    Coreia do Norte teria solicitado vacinas contra COVID-19 apesar de negar que o país tenha infectados
    Tags:
    Donald Trump, Joe Biden, política, Coreia do Sul, EUA, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar