09:20 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0417
    Nos siga no

    Os EUA intensificaram consideravelmente as atividades de seus aviões espiões no mar do Sul da China, onde Washington tem desafiado Pequim, com os chineses alegando soberania sobre as ilhas e rotas marítimas.

    Recentemente, nos céus do mar do Sul da China, um avião de reabastecimento da Força Aérea dos EUA se aproximou perigosamente de um avião de passageiros de Taiwan, passando a apenas algumas centenas de metros da aeronave civil.

    Na manhã do dia 13 de janeiro, na área ao sul de Taiwan, uma aeronave KC-135 Stratotanker da Força Aérea dos EUA ficou a apenas 76 metros de um avião comercial da EVA Air, que voava de Taipé para Singapura. O incidente foi reportado primeiramente pelo Avio Blog, usando os dados ADS-B.

    ​Dados do ADS-B registrados no dia 13 de janeiro, mostram o avião de reabastecimento da Força Aérea dos EUA KC-135 (PEARL50) se aproximando a menos de 250 pés verticalmente do voo da EVA Air de Taiwan BR225, com ambas as aeronaves cruzando a região sul de Taiwan nesta manhã.

    De acordo com o Flight Aware, o Boeing 777-300ER da EVA Air estava voando a 36.000 pés (10.972 metros) de altitude no momento em que se cruzou com o KC-135, com o código de identificação da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) PEARL50, que voava a apenas 35.750 pés (10.896 metros).

    "As regras da OACI especificam que a aeronave voando acima do FL290 [29.000 pés] deve manter uma separação vertical de 2.000 pés [609 metros]", observou o Avio Blog, ressaltando que a aeronave norte-americana estava mantendo uma separação de apenas 250 pés (76 metros).

    O áudio do incidente foi registrado pelo controle de tráfego aéreo em Taipé. Na gravação, uma controladora pode ser escutada dizendo que uma aeronave não identificada estava interferindo com a região de informação de voo (FIR, na sigla em inglês) de Taipé, e que esta precisa "partir imediatamente" e "se identificar".

    ​Um áudio supostamente gravado pelo controle de tráfego aéreo de Taipé estava circulando nas redes sociais. Podemos ouvir claramente que a controladora estava dizendo para a aeronave não identificada que estava interferindo com a FIR de Taipé no 1400 sobre a KABAM.

    O KC-135 é uma versão modificada do Boeing 707, capaz de transportar 90 719 kg (200 000 lb) de carga máxima de combustível. O número de passageiros no avião da EVA Air não foi revelado, mas a aeronave pode transportar mais de 396 passageiros.

    As aeronaves de reabastecimento norte-americanas voam regularmente ao longo da região norte do mar do Sul da China, perto de Taiwan, onde fornecem apoio a diversos aviões de vigilância, que conduzem patrulhas diárias.

    Anteriormente, no dia 13 de janeiro, o KC-135 em questão entrou no mar do Sul da China com um avião espião RC-135 Rivet Joint.

    Esta não é a primeira vez que aeronaves norte-americanas violam as regras de segurança da OACI. Em setembro de 2020, um avião espião dos EUA realizou operações alterando os códigos de identificação atribuindo-o a aeronaves civis da Malásia, enquanto circulava no espaço aéreo internacional entre Hainan e as ilhas Paracel.

    Em agosto de 2020, Pequim emitiu um veemente protesto depois de um avião de reconhecimento U-2 Dragon Lady ter sobrevoado a chamada "zona de exclusão aérea" durante um exercício militar chinês no mar de Bohai.

    Mais:

    Militares chineses expulsam navio de guerra dos EUA do mar do Sul da China
    Navio militar indiano conduz exercício com Marinha do Vietnã no mar do Sul da China (FOTOS)
    EUA impõem restrições a indivíduos chineses por militarização do mar do Sul da China
    Tags:
    avião militar, avião de reconhecimento, KC-135, EUA, Força Aérea, Taiwan, Mar do Sul da China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar