01:17 22 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1128
    Nos siga no

    O ex-presidente do Quirguistão, Almazbek Atambaev, foi alvo de tentativa de assassinato na cidade de Bishkek, capital da República do Quirguistão, declarou sua conselheira.

    "Um atentado foi realizado contra o ex-presidente Almazbek Atambaev. Uma declaração oficial será divulgada em breve", escreveu ela em seu perfil no Facebook.

    ​Uma pessoa desconhecida abriu fogo contra o carro do ex-presidente do Quirguistão Almazbek Atambaev.

    A conselheira, Kunduz Zholdubaeva, também compartilhou diversos vídeos apresentando Atambaev, onde um deles mostra marcas supostamente deixadas em seu carro por projéteis disparados contra ele.

    ​O ex-presidente Almazbek Atambaev mostra buracos de bala em seu veículo. Declara que tentaram assassiná-lo. Atambayev participou com seus partidários da marcha contra o crime organizado.

    Na segunda-feira (5), a capital do país, Bishkek, foi palco de violentos embates entre manifestantes apoiadores de partidos que não ingressaram no Parlamento e a polícia.

    Saindo às ruas para protestar contra os resultados do sufrágio, os ativistas invadiram o Parlamento, assim como libertaram o ex-presidente Almazbek Atambaev, preso desde 2019 após escândalos ligados a seu governo.

    Os partidos pró-governo, Birimdik e Mekenim, obtiveram respectivamente 24,5% e 23,9%, dos votos nas eleições realizadas no domingo (4), disse a comissão eleitoral local.

    O Partido do Quirguistão e o Butun Quirguistão foram os únicos outros grupos a ganhar assentos no Parlamento após alcançarem 8,7% e 7,1% dos votos, respectivamente, ainda de acordo com os resultados da comissão.

    Mais:

    Premiê do Quirguistão renuncia em meio a investigações de corrupção em seu governo
    Ex-presidente do Quirguistão libertado pelos manifestantes pretende fazer declaração
    Uma pessoa morre e 590 ficam feridas em confrontos no Quirguistão
    Tags:
    presidente, manifestação, protesto, eleição, Quirguistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar