09:07 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 11
    Nos siga no

    Armênia e Azerbaijão estão trocando acusações de escalada de tensões no conflito armado em torno da linha de controle da não reconhecida república de Nagorno-Karabakh.

    Nesta segunda-feira (28), o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, decretou mobilização parcial no país após escalada de tensões na linha de controle de Nagorno-Karabakh no domingo (27). A ordem executiva entra em vigor no momento da assinatura.

    Na madrugada de domingo (27), foram reportados bombardeios na região de Nagorno-Karabakh, com Armênia e Azerbaijão culpando um ao outro. Armênia e a não reconhecida república de Nagorno-Karabakh declararam estado de guerra e começaram mobilizações gerais. Horas mais tarde, a lei marcial foi também anunciada em algumas regiões do Azerbaijão. Batalhas entre as partes envolvidas ocorrem com uso de artilharia, tanques e aeronaves, que, por sua vez, já causaram baixas militares e civis em ambos os lados da fronteira.

    Estimativa de baixas

    Segundo estimativas do Azerbaijão, a Armênia já perdeu 550 vidas e mais de 60 unidades de equipamento bélico na primeira fase do conflito, tendo sido estimativas desmentidas pelo Ministério da Defesa da Armênia, que reportou apenas 16 mortes e 100 feridos entre os soldados de Nagorno-Karabakh. Contudo, o Centro de Informação Unificado da Armênia informou sobre outros 15 soldados que perderam suas vidas no conflito, remontando a um total de 31 baixas.

    O porta-voz do Ministério de Defesa armênio, Artsrun Ovannisyan, afirmou que o Azerbaijão perdeu 200 militares, 30 tanques e veículos blindados, e cerca de 20 drones no primeiro dia de combate. No entanto, Baku confirmou seis mortos e 19 feridos por conta dos tanques armênios.

    Foto concedida pelo Ministério das Relações Exteriores da Armênia mostra homem ferido recebendo atendimento médico em Nagorno-Karabakh, 27 de setembro de 2020
    © Foto / Ministério das Relações Exteriores da Armênia
    Foto concedida pelo Ministério das Relações Exteriores da Armênia mostra homem ferido recebendo atendimento médico em Nagorno-Karabakh, 27 de setembro de 2020

    Erevan e Baku têm relações tensas na região de Nagorno-Karabakh desde fevereiro de 1988, quando a região autônoma, maioritariamente habitada por cidadãos armênios, anunciou a intenção de sair da então República Socialista Soviética do Azerbaijão.

    Após as hostilidades de 1992-1994, o Azerbaijão perdeu controle sobre Nagorno-Karabakh, bem como sobre outros sete distritos ao redor.

    Desde 1992, a resolução do conflito está ao encargo do Grupo de Minsk da OSCE, copresidido pela Rússia, Estados Unidos e França. No grupo em questão, estão também incluídos Armênia, Azerbaijão, Bielorrússia, Alemanha, Itália, Suécia, Finlândia e Turquia.

    Mais:

    Conflito Azerbaijão-Armênia: Nagorno-Karabakh diz ter recuperado posições de madrugada
    OTAN exige fim do conflito militar entre Armênia e Azerbaijão
    Armênia aponta probabilidade de conflito com Azerbaijão ir além da região
    Tags:
    guerra, conflito armado, conflito armado, conflito, Armênia, Azerbaijão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar