03:42 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Mundo enfrentando COVID-19 no início de julho (40)
    1121
    Nos siga no

    Embaixada chinesa no Cazaquistão advertiu na quinta-feira (9) chineses no país de uma "pneumonia desconhecida", que mídia cazaque garante causar taxa de mortalidade maior que a COVID-19.

    A pneumonia desconhecida no Cazaquistão causou 1.772 mortes nos primeiros seis meses do ano, incluindo 628 fatalidades apenas em junho, englobando vítimas chinesas, informou a embaixada em comunicado, segundo informa o jornal chinês Global Times.

    "A taxa de mortalidade da doença é muito maior que a da COVID-19", salienta a declaração da embaixada, citada pelo jornal.

    Organizações como o Ministério da Saúde do Cazaquistão estão estudando o "vírus desta pneumonia", informou a embaixada, sem citar possibilidade de relação desta doença com o novo coronavírus.

    Alguns especialistas chineses disseram que deveriam ser tomadas medidas para evitar que a pneumonia se propague na China. O Cazaquistão faz fronteira com a região autônoma de Xinjiang Uygur, no noroeste da China.

    A embaixada pede aos cidadãos chineses no Cazaquistão que se conscientizem sobre as medidas para evitar a propagação do vírus e citou a mídia local para referir que desde meados de junho quase 500 pessoas foram infectadas pelo vírus, causador da pneumonia, em três regiões do Cazaquistão.

    Segundo o Global Times, o número de doentes com pneumonia é de duas a três vezes maior do que aqueles que foram infectados pelo novo coronavírus, baseando-se em dados oficiais.

    Pessoas fazem fila para testes de ácido nucleico em um local de testagem temporário após novo surto do coronavírus SARS-CoV-2 em Pequim, China, 30 de junho de 2020
    © REUTERS / Thomas Peter
    Pessoas fazem fila para testes de ácido nucleico em um local de testagem temporário após novo surto do coronavírus SARS-CoV-2 em Pequim, China, 30 de junho de 2020

    O Cazaquistão registrou até esta sexta-feira (10), 54.747 casos confirmados de SARS-CoV-2 e 264 mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

    "A situação da COVID-19 no Cazaquistão está sob controle", lê-se em uma declaração enviada por um funcionário do Ministério das Relações Exteriores do Cazaquistão para o Global Times.

    Em janeiro, o Cazaquistão suspendeu todos os ônibus transfronteiriços com a China, e cancelou os voos entre os países em 3 de fevereiro.

    Cazaquistão reage: são notícias falsas

    Os relatos da mídia chinesa sobre uma pneumonia desconhecida no Cazaquistão são falsos, afirmou nesta sexta-feira (10) a agência Kazinform, citando o Ministério da Saúde do Cazaquistão.

    Segundo o Kazinform, o Ministério da Saúde lembrou que a OMS adicionou à Classificação Internacional de Doenças os códigos ICD-10 para surto de doença de COVID-19, quando um vírus não identificado é atribuído a um diagnóstico clínico ou epidemiológico de COVID-19, por exemplo, em casos de visionamento em raio-X de opacidades em vidro fosco, mas não confirmadas por testes de laboratório.

    Nesse sentido, o Cazaquistão e outros países do mundo monitoram esses tipos de pneumonia, o que permite tomar decisões oportunas para conter a propagação da doença e da infecção por coronavírus, assegura o ministério.

    Tema:
    Mundo enfrentando COVID-19 no início de julho (40)

    Mais:

    Ecologista brasileiro alerta: Amazônia pode ser próximo epicentro de novos vírus
    Novo tipo de vírus causador da COVID-19 é descoberto no Panamá
    Novos casos de coronavírus na China apontam que vírus poderia estar mudando de forma desconhecida
    Tags:
    Cazaquistão, China, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar