17:33 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Manifestantes retiram uma grade do lado e fora do estádio Rainha Elizabeth, em Hong Kong, onde a chefe-executiva da região, Carrie Lam, realiza diálogos com membros das manifestações.

    Manifestantes barram saída de estádio da chefe-executiva de Hong Kong

    © REUTERS / Jorge Silva
    Ásia e Oceania
    URL curta
    223
    Nos siga no

    Nesta quinta-feira (26), um grupo de manifestantes usou grades e tijolos para bloquear ruas em torno do estádio Rainha Elizabeth, em Hong Kong.

    A atitude dos manifestantes tinha como objetivo impedir a saída da chefe-executiva de Hong Kong, Carrie Lam. De acordo com o publicado pelo site RTHK, não há informações que confirmem o local onde está Lam.

    Nesta quinta-feira (26), a líder Carrie Lam abriu um diálogo político com os manifestantes acerca das manifestações contra o governo, que ocorrem há semanas. As negociações envolveram 130 pessoas e duraram duas horas e meia no estádio que teve o entorno tomado por manifestantes.

    Apesar dos alertas feitos pela polícia de que os manifestantes estavam participando de um protesto não autorizado, as pessoas permaneceram nas ruas. Até o momento a polícia não interveio.

    Os protestos de massa em Hong Kong tiveram início em junho em reação às propostas de emenda às leis de extradição locais. Em setembro, a lei que abriria espaço para a extradição de cidadãos de Hong Kong para a China continental, teve a tramitação interrompida.

    Apesar da decisão do governo local, os protestos continuam. Os manifestantes demandam o encerramento de processos contra manifestantes e uma investigação sobre a violência policial.

    Mais:

    Militares chineses darão 'nova' contribuição à estabilidade em Hong Kong, diz mídia estatal
    Cuba condena intromissão nos assuntos internos da China na questão de Hong Kong
    China diz que EUA devem parar de fazer 'declarações irresponsáveis' sobre Hong Kong
    China afirma ter 'provas contundentes' da interferência dos EUA em Hong Kong
    Tags:
    China, Hong Kong
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar