19:15 20 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento de míssil Standard Missile (SM-3) pelo USS Decatur (DDG 73), um destróier da classe Arleigh Burke equipado com o sistema de combate Aegis e operando no Pacífico, em 22 de junho de 2007

    Japão comprará 73 mísseis interceptores dos EUA em meio a tensões com Coreia do Norte

    © AFP 2019 / Marinha dos EUA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    12610
    Nos siga no

    Nesta quarta-feira (28), o Pentágono autorizou a venda de 73 mísseis interceptores Standard Missile-3 Block IIA para o Japão, que já são usados no escudo de defesa antimíssil balístico do país.

    Ao abrigo de um contrato multimilionário, os EUA deram luz verde à venda desses mísseis, que normalmente são utilizados em navios de guerra para interceptar mísseis balísticos de alcance intermediário, informa Defense News.

    Após a recente confirmação de que Pyongyang estaria desenvolvendo novos tipos de mísseis que podem ser difíceis de interceptar pelos sistemas existentes de defesa antimísseis, Tóquio está aumentando seu arsenal de defesa contra mísseis balísticos.

    As autoridades expressaram preocupações sobre se o país nipônico estaria a salvo de ogivas provenientes de Pyongyang no caso de um possível conflito armado.

    Tóquio reforça defesas

    Na terça-feira (27), o ministro da Defesa japonês, Takeshi Iwai, alertou sobre a "trajetória irregular e mais baixa que o comum" dos dois mísseis de curto alcance que a Coreia do Norte teria lançado no mar do Japão (também conhecido como mar do Leste) na semana passada.

    Os norte-coreanos esperam que a trajetória incomum torne os mísseis mais difíceis de interceptar, disse Iwai, acrescentando que há "uma boa chance" de Pyongyang poder aplicar tecnologia semelhante às armas nucleares de longo alcance.

    O Reino Unido, França e Alemanha emitiram uma declaração conjunta na terça-feira, condenando os "repetidos lançamentos provocativos" de mísseis balísticos pela Coreia do Norte, que violam as resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

    Pyongyang tem sustentado que é seu direito soberano realizar testes de mísseis, afirmando que só testa armas para autodefesa.
    Anteriormente, as vendas americanas do míssil Standard Missile-3 Block IIA ao país asiático haviam sido canceladas por duas vezes.

    O Japão tem reforçado suas defesas nos últimos anos em meio às crescentes tensões em torno da península coreana.

    Mais:

    Japão acusa Coreia do Norte de construir mísseis capazes de 'enganar' defesa antiaérea
    Coreia do Norte comemora teste de novo lançador múltiplo de mísseis
    Reino Unido, França e Alemanha condenam testes balísticos da Coreia do Norte
    Tags:
    Pentágono, SM-3, míssil balístico intercontinental, Coreia do Norte, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar