07:08 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Mamoru Shigemitsu assina os papéis de rendição incondicional do Imperador Hirohito, comprometendo assim o Japão a aceitar a Declaração de Potsdam.

    Imperador do Japão quis expressar remorso pela Segunda Guerra Mundial, mas premiê o impediu

    © AP Photo /
    Ásia e Oceania
    URL curta
    461
    Nos siga no

    O Imperador japonês Hirohito queria expressar seu arrependimento e remorso logo após a Segunda Guerra Mundial, mas o primeiro-ministro o impediu, informou a mídia local nesta terça-feira (20).

    A fonte da informação são 18 cadernos recém-divulgados e escritos por Michiji Tajima, um alto funcionário da Agência da Casa Imperial, com diálogos entre ele e Hirohito entre 1949 e 1953.

    De acordo com os documentos, o Imperador disse em 1952: "Não importa o quê, eu realmente acho que preciso incluir a palavra remorso" em seu discurso planejado para marcar a recuperação da independência do Japão no final daquele ano.

    O Imperador também afirmou: "Para mim, eu sinto um grande remorso. Eu realmente quero acrescentar a frase — reflexão sobre o passado e autodisciplina para o futuro — mesmo que as palavras possam ser mudadas."

    Mas o então primeiro-ministro Shigeru Yoshida se opôs ao plano do Imperador de expressar publicamente arrependimento e remorso, dizendo a Tajima: "Há o perigo de que as pessoas digam que ele foi responsável por iniciar a guerra".

    As frases de arrependimento e remorso foram eventualmente excluídas do discurso proferido por Hirohito para celebrar o tratado de paz de 1951 em São Francisco.

    Hirohito, que morreu em 1989, é o avô do Imperador Naruhito, de 59 anos, que subiu ao Trono do Crisântemo em maio ao suceder seu pai Akihito, o primeiro Imperador japonês a abdicar em mais de dois séculos.

    O Imperador Hirohito já foi adorado como um semideus vivo e serviu como comandante-chefe do Japão durante sua marcha pela Ásia nas décadas de 1930 e 1940.

    O discurso de rendição de Hirohito na Segunda Guerra Mundial foi transmitido pela rádio em 15 de agosto de 1945, dias após os EUA lançarem bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki.

    Mais:

    Seul: Coreia do Norte disparou dois projéteis no mar do Japão
    Onda de calor no Japão deixa 57 mortos em 6 dias
    Japão não vê ameaça em recentes lançamentos de projéteis da Coreia do Norte
    Coreia do Sul remove Japão de 'lista branca' comercial
    Japão aprova compra de dezenas de F-35B norte-americanos
    Tags:
    Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar