20:07 21 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Huawei

    Índia considera ignorar alertas dos EUA e conceder à Huawei direito de construir redes 5G

    © AP Photo / Mark Schiefelbein, File
    Ásia e Oceania
    URL curta
    12230

    A Índia pode em breve se juntar à lista de países que rejeitaram a exigência dos Estados Unidos de proibir a fabricante chinesa Huawei de implementar redes 5G.

    Embora preocupações relacionadas à segurança sejam quase unânimes no que diz respeito ao uso da telefonia móvel chinesa, autoridades do governo indiano citaram os exemplos do Reino Unido e da Alemanha em sua decisão de também rejeitar a demanda de Washington, informou o jornal The Economic Times.

    A Huawei está confiante de que será capaz de atender aos critérios prescritos para participação nos testes 5G. A empresa admite esperar que uma decisão seja tomada somente após a conclusão das eleições gerais na Índia, informou o jornal.

    As partes interessadas estão atualmente aguardando a concessão do espectro de testes 5G pelo governo indiano. A Huawei compete principalmente com os fornecedores europeus Nokia e Ericsson e a rival chinesa ZTE, pelos contratos globais de equipamentos de telecomunicações. Para aliviar temores relativos à segurança, a Huawei disse que planeja cumprir integralmente as leis de cibersegurança da Índia.

    "Nossos equipamentos estão em conformidade com os padrões e testes internacionais e estamos prontos para cumprir todas as regulamentações e testes do governo na Índia", disse uma autoridade sênior da Huawei Índia ao jornal indiano.

    Nos últimos meses, os EUA vêm tentando pressionar outras nações a não usar redes sem fio de quinta geração, ou 5G, da Huawei. Os alertas se baseiam nas preocupações de Washington de que a Huawei e outras empresas de telecomunicações chinesas sejam uma ameaça significativa à segurança, dado o controle de Pequim sobre a indústria de telefonia móvel, informou o New York Times.

    Funcionários do governo Trump apontaram que as novas leis chinesas de segurança exigem que a Huawei e outras empresas forneçam informações a agências de inteligência. Isso, dizem os americanos, poderia permitir que a China tenha acesso a grandes quantidades de dados e até mesmo permite que Pequim espione empresas, indivíduos e governos. A Huawei, no entanto, rejeita essa premissa.

    Os Estados Unidos buscam outras formas de conter a expansão global da Huawei, possivelmente restringindo as empresas americanas de fornecer componentes essenciais à gigante chinesa que possam ser necessários para construir redes 5G em todo o mundo, informou o The New York Times.

    Tags:
    Huawei, Ericsson, Nokia, ZTE, Donald Trump, Pequim, China, Estados Unidos, Washington, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar