21:41 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo

    Ataques cibernéticos podem ser considerados agressão armada em novo tratado EUA-Japão

    © AP Photo / Sait Serkan Gurbuz
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1112

    Estados Unidos e Japão concordam que em alguns casos um ataque cibernético pode representar uma ação armada sob o Tratado de Cooperação Mútua e Segurança entre os dois países, disse o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (19).

    "Os Estados Unidos e o Japão afirmam que a lei internacional se aplica ao ciberespaço e que um ataque cibernético poderia, em certas circunstâncias, constituir um ataque armado sob o Artigo 5 do Tratado de Segurança EUA-Japão", disse Pompeo ao lado do ministro da Defesa japonês, Takeshi Iwaya.

    Iwaya acrescentou que tal questão é importante para as capacidades de dissuasão dos dois países.

    Já Pompeo ressaltou que os Estados Unidos e o Japão deveriam cooperar para manter a superioridade tecnológica, proteger as informações classificadas e impedir vantagens econômicas que adversários internacionais poderiam ter ao roubar tais dados.

    De acordo com o tratado conjunto de segurança, os militares dos EUA têm o direito de utilizar terras e capacidades no Japão para manter a paz no leste da Ásia. Além disso, o Japão tem várias bases militares dos EUA em seu território desde a derrota de Tóquio na Segunda Guerra Mundial.

    Mais:

    China quer acelerar negociações para criação de área de livre comércio com Japão e Coreia
    Japão confirma e detalha projeto do caça de 6ª geração
    Capacidades do caça F-35A em xeque depois de acidente no Japão
    Japão encontra partes do F-35A sumido e confirma 1º acidente do modelo
    Tags:
    defesa cibernética, acordos bilaterais, Segunda Guerra Mundial, Takeshi Iwaya, Mike Pompeo, Estados Unidos, Tóquio, Ásia, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar