18:44 24 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Mevlut Cavusoglu

    Turquia pede o fim de supostos 'campos de reeducação' com Uyghurs na China

    © AP Photo / Andrew Harnik
    Ásia e Oceania
    URL curta
    847

    A Turquia pediu à China respeito aos direitos dos Uyghurs, um grupo étnico turco vivendo no noroeste do país na Região Autônoma Xinjiang Uyghur (XUAR). Ancara também pediu o fechamento dos chamados campos de reeducação onde cerca de 1 milhão de Uyghurs estariam sendo mantidos, disse o porta-voz da chancelaria turca, Hami Aksoy.

    "Nós convidamos as autoridades chinesas a respeitar o respeito aos direitos humanos fundamentais de turcos Uighurs e fechar os campos de internamento. Nós pedimos à comunidade internacional e ao Secretário Geral da Organização das Nações Unidas para tomar medidas efetivas para colocar um fim a essa tragédia humana em Xinjiang", disse Aksoy em um comunicado, publicado no site oficial do Ministério das Relações Exteriores da Turquia no fim do sábado (8).

    De acordo com estimativas da ONU, cerca de 1 milhão de Uyghurs étnicos são mantidos presos em campos de reeducação sob o pretexto de combate ao terrorismo e ao extremismo religioso.

    Os Uyghurs tentaram a independência da China entre 1930 e 1940. Nos último anos, o governo chinês teria introduzidos medidas de segurança mais estritas na região, justificando as ações como sendo de combate ao terrorismo.

    Pequim nega a existência dos campos de reeducação, insistindo que o país cumpre totalmente a Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial.

    Mais:

    Síria acusa Turquia de violar acordo de 1998 e demanda saída de terras fronteiriças
    Turquia adverte exército sírio contra entrada em Manbij
    Turquia comprará mísseis russos S-400 não obstante acordo com EUA sobre os Patriot
    Mídia: Venezuela enviará toneladas de ouro à Turquia
    Tags:
    Uyghurs, tensão diplomática, Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial, ONU, Hami Aksoy, Turquia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar