14:02 18 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Reunião dos chefes do Estado dos países-membros da Organização para Cooperação de Xangai (OCX), em 9 de junho de 2017 na cidade de Astana

    Países da Organização de Cooperação de Xangai se unem contra sanções dos EUA

    © Sputnik / Aleksei Nikolsky
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6150

    Rússia e China vão discutir oposição à política de sanções dos EUA durante a cúpula da Organização de Cooperação de Xangai (OCX), disse uma fonte na delegação russa.

    Segundo o jornal russo Izvestia, um membro da delegação russa informou que durante o evento, que ocorrerá em Dushanbe (Tajiquistão) nos dias 11 e 12 de outubro, toda a situação geopolítica e a economia global serão discutidas. Entre outros temas, o primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, e seu homólogo chinês, Li Keqiang, certamente discutirão as ações dos Estados Unidos em relação a outros países e como a interação dos membros da OCX deve ser construída nessas condições, detalhou o delegado.

    Embora Zhang Jun, o ministro assistente das Relações Exteriores chinês, não tenha mencionado os EUA explicitamente, os EUA estavam claramente referidos em suas declarações. Zhang disse que na reunião em Dushanbe os representantes discutirão a expansão das áreas de cooperação, bem como "responderão ativamente ao militarismo, comportamento agressivo e outras ações".

    Em 20 de setembro, Washington anunciou a introdução de sanções secundárias contra a China pela compra de caças Su-35 e de sistemas S-400 da Rússia. Pequim respondeu que as sanções do país norte-americano eram ilegais e prometeu continuar a cooperação técnico-militar com Moscou.

    As prováveis ​​sanções dos EUA também não assustaram a Índia, outro membro da OCX. No início de outubro, Nova Déli e Moscou assinaram um acordo para fornecimento de cinco blocos de sistemas russos S-400 às forças armadas indianas. Espera-se que o próximo comprador do sistema de defesa aérea russo seja a Turquia, um país que tem o status de parceiro da OCX.

    Mais:

    China aposta na cooperação com Rússia para deixar EUA e sanções para trás
    China cancela visita do chefe da Marinha aos EUA após sanções de Washington
    Aplicando sanções, EUA fizeram da China seu novo 'inimigo', diz especialista
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik