08:21 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    O Presidente da Interpol, Meng Hongwei, posa durante uma visita à sede da Organização Internacional de Polícia em Lyon

    Interpol pede que China forneça informações sobre desaparecimento do presidente da agência

    © REUTERS/ Jeff Pachoud/Pool
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1120

    O chefe da Interpol, Meng Hongwei, não é visto desde 25 de setembro, quando viajou da França para a China. O South China Morning Post de Hong Kong sugeriu anteriormente, citando uma fonte não identificada, que Hongwei estava sendo interrogado por autoridades de Pequim.

    A Interpol disse ao Euronews que solicitou oficialmente esclarecimentos da China sobre o paradeiro de seu presidente Meng Hongwei, revertendo um anúncio anterior de que o paradeiro do agente era "uma questão para as autoridades competentes na França e na China".

    "A Interpol solicitou, por meio de canais oficiais de cumprimento da lei, esclarecimentos das autoridades chinesas sobre a situação do presidente da Interpol, Meng Hongwei. A Secretaria-Geral da Interpol aguarda uma resposta oficial das autoridades chinesas para tratar das preocupações sobre o bem-estar do presidente", diz o comunicado.

    Interpol.
    © AP Photo / Laurent Cipriani
    A esposa e os filhos do desaparecido foram colocados sob proteção especial pela polícia francesa depois de ameaças por telefone e nas redes sociais, informou o Ministério do Interior da França. A mulher, que reside em Lyon, cidade que abriga a sede da Interpol, informou o desaparecimento de seu marido na sexta-feira após um prolongado período sem notícias de Hongwei.

    Uma fonte familiarizada com a investigação disse à Reuters que a hipótese maior é que Meng, que também é vice-ministro da Segurança Pública da China, tenha sido detido como resultado de confrontos com autoridades de Pequim. Isso confirma parcialmente as suspeitas do jornal South China Morning Post (SCMP), que informou na sexta-feira que o funcionário está sob investigação na China.

    De acordo com o SCMP, Meng foi levado para interrogatório logo após o desembarque na China há uma semana. Autoridades francesas disseram em comunicado no final do dia que continuam trocando informações com as autoridades chinesas sobre o desaparecimento.

    Meng assumiu o cargo  na Interpol em novembro de 2016. Anteriormente, ele ocupou vários cargos dentro do Ministério de Segurança Pública da China em sua carreira ao longo de décadas.

    Tags:
    Ministério de Segurança Pública da China, Secretaria-Geral da Interpol, Ministério do Interior da França, Interpol, South China Morning Post, Meng Hongwei, Lyon, Hong Kong, China, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik