06:39 18 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante uma conversa telefônica com o Patriarca de Constantinopla, Bartolomeu I

    Onde Vladimir Putin e Kim Jong-un podem se encontrar?

    © Sputnik / Mikhail Klimentiev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6231

    A Coreia do Norte comunicou recentemente ter chegado a acordo com a parte russa sobre um encontro bilateral de alto nível. Em uma conversa com a Sputnik, o especialista Vladimir Terekhov disse que tal reunião seria um sinal importante para o mundo.

    A Rússia e a Coreia do Norte estão prontas para negociar a alto nível — esse acordo foi alcançado ontem (31) durante um encontro entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o chanceler russo, Sergei Lavrov, comunicou a KCNA.

    Logo após as conversações, o porta-voz da Presidência russa, Dmitry Peskov, assegurou que ainda é cedo para falar sobre o futuro encontro entre os líderes de dois países, pois Lavrov nem teve tempo para apresentar o relatório final sobre a sua visita ao presidente Putin.

    Chanceler russo, Sergei Lavrov, durante encontro com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Pyongyang
    © Sputnik / TASS/Pool/Valeriy Sharifulin
    Em uma conversa com o serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista Vladimir Terekhov avaliou a importância do acordo alcançado.

    "É um evento importante e tal encontro será um sinal marcante para o mundo. Em geral, os coreanos são bem inquietos quando se trata dos vizinhos. A única exceção, pelo visto, é a Rússia, pois em ambas as Coreias a memória histórica é forte. Acredito que a pauta do encontro pode incluir dois projetos econômicos: a construção da ferrovia transcoreana e do gasoduto transcoreano com saída para a fronteira russa. Por isso, os dois líderes têm bastantes temas para falar, além das questões políticas", disse o analista.

    Além disso, Terekhov faz uma previsão sobre o local onde o histórico encontro se poderá realizar.

    "Em breve terá lugar a cúpula da Organização de Cooperação de Xangai na cidade chinesa de Qingdao. A Coreia do Norte não faz parte da OCX, mas o país que sedia o evento pode convidar qualquer líder. Em princípio, é possível supor que [o presidente chinês] Xi Jinping possa convidar Kim Jong-un para seu 3º encontro exatamente nos dias da cúpula em Qingdao. As conversações entre o líder norte-coreano e Vladimir Putin poderiam se realizar nas margens do evento. Não é de descartar que seja organizada também uma reunião especial em uma das capitais — em Pyongyang ou Moscou", ressaltou.

    A cúpula da OCX vai decorrer entre 9 e 10 de junho. A organização foi criada em 2001 e reúne a Rússia, China, Índia, Paquistão, Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão e Uzbequistão. O Afeganistão, a Bielorrússia, o Irã e a Mongólia têm estatuto de Estados observadores.

    Mais:

    EUA visitam Coreia do Norte para preparar encontro entre Trump e Kim
    Kim Jong-un: compromisso de desnuclearizar Coreia permanece inalterado
    Trump quer deixar Coreia do Sul e Japão de fora da reunião com Kim Jong-un
    Tags:
    cimeira, encontro bilateral, reunião, OCX, Kim Jong-un, Vladimir Putin, Coreia do Norte, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik