10:50 18 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Empresários sírios e chineses exibem bandeiras dos dois países durante encontro em Pequim para discutir projetos de reconstrução da Síria (arquivo)

    China é contra ações na Síria sem autorização do Conselho de Segurança da ONU

    © REUTERS / Jason Lee
    Ásia e Oceania
    URL curta
    9120

    A China se opõe a quaisquer medidas unilaterais tomadas na Síria sem o aval do Conselho de Segurança da ONU. É o que afirmou Xie Xiaoyan, enviado especial da China para a Síria, por meio de um comunicado em que comenta sobre os planos do Ocidente de usar uma votação da Assembleia Geral da ONU para autorizar ataques contra a Síria.

    No início desta semana, a mídia informou que os países ocidentais queriam iniciar uma votação na Assembleia Geral sobre a Síria, a fim de contornar o veto russo no Conselho de Segurança da ONU.

    "De acordo com a carta da ONU e a lei internacional, existem apenas dois casos em que ações militares unilaterais podem ser tomadas: uma é que essas ações tenham autorização do Conselho de Segurança e a outra exceção é se o país está sendo atacado e toma ações militares em legítima defesa […]. Ações militares unilaterais de certos países não se enquadram em nenhuma dessas duas categorias. Somos contra e pedimos uma investigação imediata por uma equipe especial designada pelas Nações Unidas", afirmou Xie.

    A Rússia vetou todos os projetos de resolução do Conselho de Segurança da ONU que poderiam ter resultado em uma operação militar ocidental na Síria. Apesar disso, os Estados Unidos e seus aliados continuam a realizar ataques contra terroristas sem uma resolução do Conselho de Segurança da ONU e até mesmo atacaram posições do exército sírio, usando supostos ataques químicos como pretexto.

    Mais:

    Bombardeiros dos EUA sobrevoam proximidades do mar do sul da China
    Senado dos EUA aprova resolução exigindo que China respeite direitos humanos no Tibete
    Irã pede que Rússia e China elaborem estratégia comum para combater EUA
    'Eles sabem o que vai acontecer': para que Rússia e China estão acumulando ouro?
    Tags:
    Guerra da Síria, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Xie Xiaoyan, Síria, Estados Unidos, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik