14:07 21 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Local do teste nuclear no mapa

    É revelado por que Kim Jong-un interrompeu atividade nuclear

    © REUTERS / Kim Hong-Ji
    Ásia e Oceania
    URL curta
    25505

    Estudo realizado por geólogos da Universidade de Ciência e Tecnologia da China (USTC) sugere que a área norte-coreana Punggye-ri, utilizada para testes nucleares, teria colapsado em resultado das explosões.

    Os autores do estudo, Tian Dongdong, Yao Jiawen e Wen Lianxing, citados pela agência de notícias AP, assinalam que o terremoto de magnitude 6,3, que aconteceu oito minutos e meio depois do teste nuclear em 3 de setembro de 2017, foi "um colapso quase vertical na área em direção ao centro dos testes nucleares", seguido por um "enxame sísmico" em outros lugares.

    Geólogos chineses recomendam "continuar monitorando possíveis fugas de material radioativo que poderiam ter sido causadas pelo colapso" na zona dos testes abaixo do monte Mantap.

    O estudo, cujo resumo foi publicado nesta semana no site da universidade, sairá na revista Geophysical Research Letters.

    Em outubro passado, especialistas do Instituto dos EUA e Coreia da Universidade Johns Hopkins atribuíram à chamada "síndrome de montanha cansada" os eventos sísmicos registrados perto de Punggye-ri após realização da simulação subterrânea de uma bomba de hidrogênio de 250 quilotons.

    A síndrome é resultado de múltiplas detonações subterrâneas que consideravelmente alteram as caraterísticas das rochas ao redor. As explosões provocam extensa fratura das rochas que vão crescendo e incrementam a permeabilidade da massa de rochas e de algumas falhas tectônicas. A zona de deformações não elásticas pode compreender centenas de metros.

    Dos seis testes nucleares subterrâneos, organizados pela Coreia do Norte até hoje, cinco podem ter sido postos em ação em túneis debaixo do monte Mantap, na província de Hamgyong do Norte.

    No entanto, mais um grupo de especialistas confirmou que a explosão criou um tubo que poderia levar potencialmente ao vazamento de materiais radioativos. Liu Junqing, cientista da Agência Jilin Earthquake escreveu no mês passado que "o colapso da montanha foi registrado pela primeira vez no local de testes na Coreia do Norte".

    Como consequência, pesquisadores chineses chamam atenção da população devido ao risco de radiação criado pelo colapso da zona.

    É de assinalar que um membro anônimo de equipes científicas chinesas teria comunicado que esse colapso poderia explicar por que o líder norte-coreano, Kim Jong-un, declarou na sexta-feira (20) que vai congelar a atividade nuclear e fechar a zona.

    O líder norte-coreano, Kim Jong-un, anunciou a suspensão de testes nucleares e de mísseis a partir de 21 de abril e o fechamento da zona de testes nucleares Punggye-ri.

    Mais:

    'Revisão do acordo com Irã será um sinal negativo para Pyongyang', diz deputado russo
    Analistas: Local de testes nucleares da Coreia do Norte continua 'totalmente operacional'
    Ex-'pequeno homem-foguete', Kim agora é 'muito honrado' para Donald Trump
    Tags:
    colapso, míssil, lançamento, teste nuclear, Kim Jong-un, China, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik