01:02 23 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Pequim.

    Demolir casas: China revela plano para combater superpopulações em Pequim e Xangai

    © AP Photo / Vincent Thian
    Ásia e Oceania
    URL curta
    143

    O governo chinês elaborou um plano para acabar com as superpopulações em Pequim e Xangai, duas das cidades mais importantes do gigante asiático, informou o jornal britânico The Guardian.

    De acordo com a publicação, as medidas que compõem o programa incluem a demolição em massa de casas, de modo que os habitantes das moradias afetadas sejam forçados a deixar essas cidades e se mudar para outras regiões com um volume demográfico mais baixo.

    O objetivo estabelecido é que Pequim não exceda 23 milhões de habitantes até 2020 e Xangai não ultrapasse 25 milhões até 2035.

    Em 2017, Pequim tinha 21,7 milhões de habitantes (20.000 a menos que no ano anterior), enquanto em Xangai viviam 24,18 milhões de pessoas (10 mil a menos que em 2016), mencionou o The Guardian.

    Para atingir seu objetivo, o governo não só está demolindo esses prédios antigos nos bairros do centro, mas também focando suas atenções em todos os tipos de instalações sem licença, como bares, lojas, restaurantes ou mercados, obrigando os moradores a deixar o local de residência.

    Redistribuição ou expulsão?

    Outra medida adotada é a redistribuição da população por meio de novos assentamentos urbanos em torno dessas cidades, o que é parte de uma iniciativa promovida pelo governo para que várias empresas de tecnologia se desloquem para esses locais, levando os seus trabalhadores para lá.

    Foi o que aconteceu na cidade de Xiong'an, na província de Hebei, nos arredores de Pequim, onde um assentamento urbano chamado Jing-Jin-Ji foi erguido.

    Contudo, os mais críticos apontam que o plano é parte de uma estratégia de degentrificação, isto é, um processo de transformação de um espaço urbano deteriorado ou antigo por meio da reconstrução, o que normalmente leva a um aumento no custo de moradia na área em que é realizada.

    Desta forma, os mais afetados nessas duas metrópoles chinesas seriam os habitantes das classes mais baixas.

    Mais:

    Trump não teme guerra comercial com a China e não recuará, afirma Mnuchin
    Recado para Índia? China ajuda programa de mísseis do Paquistão com sistema avançado
    China dará vantagem a quem apostar no petroyuan
    Tags:
    moradia, população, densidade demográfica, superpopulação, degentrificação, Xangai, Pequim, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik