10:05 24 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Soldados durante o desfile militar que marca o 105º aniversário de Kim Il-sung, fundador da Coreia do Norte, em Pyongyang

    Mídia revela 'arma mais potente' da Coreia do Norte

    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4244

    Serviços secretos podem se tornar uma ferramenta eficaz nas mãos das autoridades norte-coreanas em caso de conflito armado na península coreana, escreve a revista The National Interest (NI).

    Segundo nota a edição com referência a um relatório do Pentágono, a Coreia do Norte possui dois serviços secretos principais responsáveis pela inteligência. O primeiro se ocupa da inteligência externa e operações secretas. A segunda agência é responsável pela contrainteligência. No entanto, há mais duas instituições que atuam na Coreia do Sul.

    De acordo com os especialistas, a Diretoria de Inteligência do Estado-Maior do exército norte-coreano, que é o principal serviço secreto na esfera de inteligência externa da Coreia do Norte, foi criado à maneira da Diretoria Principal de Inteligência do Estado-Maior das Forças Armadas da União Soviética. Este órgão consiste de seis departamentos responsáveis pela realização de operações secretas, inteligência, atividades no ciberespaço, coleta de dados de inteligência no exterior e negociações intercoreanas.

    O Ministério de Segurança do Estado é o órgão principal na área de contraespionagem, mas possui algumas funções na área da inteligência externa. Ele, segundo nota o NI, também foi criado segundo o padrão do Ministério de Segurança do Estado soviético. No Pentágono afirmam que este órgão está subordinado diretamente ao líder norte-coreano Kim Jong-un.

    A atividade de outros dois serviços secretos está ligada diretamente à Coreia do Sul. Por exemplo, a Seção da Frente Unida trata da criação no Sul de grupos pró-Norte e é responsável pelas negociações intercoreanas. O segundo serviço secreto, designado no relatório do Pentágono como 225º Bureau funciona clandestinamente. Na opinião dos militares norte-americanos, este órgão prepara agentes para os introduzir na Coreia do Sul, bem como cria organizações políticas secretas no país vizinho para incitarem desordens e revoluções.

    A revista também salienta que os serviços secretos são um dos principais pilares da Coreia do Norte. Os analistas opinam que os agentes norte-coreanos são capazes de atuar com sucesso no exterior. Por exemplo, a eles é atribuído o assassinato do irmão mais velho de Kim Jong-un – Kim Jong-nam.

    Ao concluir, a edição chama os serviços secretos norte-coreanos de impiedosos e nota que eles podem ser usados com bastante sucesso em caso de conflito na península coreana.

    Mais:

    Coreia do Norte comemora aniversário de Kim Jong-il
    Embaixador sul-coreano: diálogo entre EUA e Coreia do Norte segue possível
    Inteligência americana desvenda suposto preparo de ciberataque norte-coreano contra EUA
    Tags:
    assassinato, serviços secretos, espionagem, agências de inteligência, Pentágono, Kim Jong-nam, Kim Jong-un, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik