18:11 20 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Soldados norte-americanos e sul-coreanos durante os exercícicos na Coreia do Sul

    Embaixador russo em Pyongyang revela planos dos EUA para Coreia do Norte

    © AP Photo / Ahn Young-joon
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3111

    Os Estudos Unidos querem usar sanções para pressionar a Coreia do Norte até o fim, mas o plano conjunto da Rússia e China não foi rejeitado definitivamente por Washington, destacou o embaixador russo na Coreia do Norte, Aleksandr Matsegora.

    "Os americanos têm como objetivo de 'completar a pressão' sobre a Coreia do Norte. Pode-se dizer que este é seu plano. Porém, a nossa iniciativa não foi aceita, mas também não foi rejeitada completamente pelos nossos parceiros americanos", disse.

    Segundo o diplomata russo, "o que está passando agora, notadamente o adiamento do prazo de realização das manobras conjuntas da Coreia do Sul e EUA e a participação do Norte das Olimpíadas, que pressupõe a abstenção dos testes de mísseis e nucleares durante esse período, significa, na essência, um ‘congelamento duplo', ou seja, precisamente aquilo que pressupõe a primeira etapa do nosso [de Moscou e Pequim] plano".

    Matsegora frisou que a segunda etapa é bem mais difícil porque prevê negociações bilaterais entre as Coreias, EUA e Japão. Ela pressupõe negociações diretas, tanto entre Pyongyang e Washington quanto entre Pyongyang e Seul, e depois, na terceira etapa, podem se realizar negociações multilaterais para criação de um mecanismo de paz e segurança na região.

    Mais:

    Aposta arriscada? General diz que Coreia do Norte não provou que pode atingir os EUA
    Diplomacia deve 'impor razão' à Coreia do Norte, diz secretário de Defesa dos EUA
    Rússia diz que não precisa respeitar as sanções dos EUA contra Coreia do Norte
    Tags:
    negociações, testes nucleares, testes de mísseis, sanções, China, Rússia, Coreia do Sul, EUA, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar