00:45 26 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Kim Jong-nam, meio-irmão de Kim Jong-un, assassinado no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur em 13 de fevereiro

    Morto com agente químico, irmão de Kim Jong-un se encontrou com americano, diz testemunha

    © AP Photo / Shizuo Kambayashi
    Ásia e Oceania
    URL curta
    411

    O meio-irmão do líder norte-coreano Kim Jong-un conheceu um americano não identificado, em uma ilha turística na Malásia, quatro dias antes de ser assassinado em um incidente que relembra a Guerra Fria, afirmou uma testemunha em um tribunal nesta segunda-feira.

    Kim Jong-nam conheceu o homem desconhecido em um hotel em Langkawi em 9 de fevereiro, de acordo com uma testemunha que depôs no julgamento de duas mulheres acusadas do assassinato do irmão do líder norte-coreano.

    A indonésia Siti Aisyah e a vietnamita Doan Thi Huong supostamente esfregaram um agente químico conhecido como VX no rosto de Kim Jong-nam, no aeroporto internacional de Kuala Lumpur em 13 de fevereiro, enquanto ele esperava para embarcar em um vôo para Macau.

    Kim morreu em agonia em horas e as mulheres foram presas alguns dias depois.

    As duas, que enfrentam a pena de morte por enforcamento se condenadas, declararam-se inocentes e disseram que foram enganadas para acreditar que eram parte de um programa de TV de moda, com seus advogados culpando agentes norte-coreanos.

    A Coreia do Sul também acusou a Coreia do Norte de ordenar o assassinato, uma denúncia que Pyongyang nega.

    No julgamento de segunda-feira, o advogado de defesa, Gooi Soon Seng, questionou o policial de investigação Wan Azirul Nizam Che Wan Aziz sobre um artigo no ano passado no jornal japonês Asahi Shimbun, que havia relatado o encontro misterioso em Langkawi.

    O jornal informou que o irmão de Kim Jong-un havia encontrado um agente de inteligência dos EUA em Langkawi.

    Um relatório da polícia de informática forense mostrou que um laptop de Kim Jong-nam foi usado pela última vez em 9 de fevereiro, dia da reunião de Langkawi, e que um pendrive USB estava conectado a ele naquele dia.

    Wan Azirul concordou com a afirmação de Gooi de que Kim conheceu um "coreano-americano baseado em Bangcoc" no hotel. Mas o oficial não pôde revelar a identidade do americano ou o nome do hotel, respondendo às perguntas de Gooi de que ele não estava seguro ou não se lembrava.

    Kim Jong-nam retornou a Kuala Lumpur de Langkawi no dia 12 de fevereiro, no dia anterior à sua morte. Ele chegou na Malásia a partir de Macau em 6 de fevereiro.

    Mais:

    Filho de Kim Jong-nam quebra silêncio e faz apelo em VÍDEO
    Malásia 'condena fortemente' uso de arma química no assassinato de Kim Jong-nam
    Intoxicação de Kim Jong-nam não significa que Coreia do Norte possua arma química
    Tags:
    armas químicas, VX, violência, assassinato, Asahi Shimbun, Kim Jong-un, Kim Jong-nam, Macau, Kuala Lumpur, Malásia, Estados Unidos, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar