13:12 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    881
    Nos siga no

    Pyongyang pode exigir que Seul suspenda as restrições econômicas impostas à Coreia do Norte e renove projetos econômicos bilaterais e de ajuda humanitária em troca da participação nas Olimpíadas Inverno de 2018, em Pyeongchang, Coreia do Sul.

    Foi o que apontou um relatório elaborado pelo Instituto Sul-coreano de Estratégia de Segurança Nacional, divulgado nesta segunda-feira (1), 

    Em sua mensagem de Ano Novo à nação, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, expressou a esperança de que os atletas norte-coreanos possam participar nas próximas Olimpíadas. Para que isto aconteça, um encontro entre as delegações dos dois países pode ser realizado em breve.

    "Em troca disso, não se pode descartar a ideia de que Seul suspenda as sanções econômicas, e a retomae projetos econômicos de cooperação e ajuda humanitária", disse o relatório.

    Pyongyang também insiste na suspensão de exercícios militares entre Estados Unidos e Coreia do Sul na península e na cessação de Washington dos investimentos estratégicos no território sul-coreano.

    As tensões em torno do programa de armas nucleares da Coreia do Norte cresceram recentemente devido aos repetidos testes nucleares e de armas realizados por Pyongyang, violando as resoluções do Conselho de Segurança da ONU. 

    No final de dezembro de 2017, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, disse que os Estados Unidos e a Coreia do Sul estavam considerando a possibilidade de suspender exercícios militares para reduzir as tensões antes dos jogos olímpicos.

    As olimpíadas de inverno de 2018 acontecem em Pyeongchang de 9 a 25 de fevereiro. A cidade-resort sul-coreana está localizada a apenas 80 quilômetros da fronteira com a Coreia do Norte.

    Mais:

    Rússia nega fornecimento ilegal de petróleo à Coreia do Norte
    No ano que vem, a Coreia do Norte continuará aumentando seu potencial nuclear
    Petroleiros russos alimentaram a Coreia do Norte com transferências no mar, diz agência
    'Coreia do Norte não pode recuar, ela vai se defender até o final'
    Tags:
    tensão política, tensão militar, sanções econômicas, Kim Jong-un, Pyeongchang, Pyongyang, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar