10:47 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    General Hwang Pyong-so nos Jogos Asiáticos de 2014 (à esquerda)

    Kim Jong-un teria executado um dos comandantes militares da Coreia do Norte

    © REUTERS/ Jason Reed
    Ásia e Oceania
    URL curta
    838

    O general Hwang Pyong-so foi expulso do Partido dos Trabalhadores da Coreia e se encontra desaparecido, por isso começam a circular rumores de que o líder norte-coreano teria ordenado a sua execução.

    O diretor do Bureau Político do Exército da Coreia do Norte e membro do Comitê Central do Partido Trabalhista da Coreia, Hwang Pyong-so, teria sido expulso do partido governante por ter aceito uma propina. O seu antecessor, Kim Won-hong, foi detido pelo mesmo delito, segundo fontes do jornal sul-coreano JoongAng Ilbo.

    Se, na verdade, Hwang Pyong-so tiver sido expulso do partido, isso "significaria o fim de sua carreira política e provavelmente da sua vida", informou o jornal. "Não se sabe se ainda está vivo ou não", lê-se no artigo.

    Além disso, o JoongAng Ilbo lembrou que, em novembro, a Inteligência sul-coreana informou que Hwang Pyong-so e Kim Won-hong foram castigados por "atitude impura" perante o líder da Coreia do Norte, Kim Jong- un.

    Segundo as fontes do jornal, as causas do castigo foram supostas propinas que teriam recebido para promover determinadas pessoas no Bureau Político.

    De acordo com o jornal, ao saber o que aconteceu, Kim Jong-un ordenou "castigá-los" para que seja um "aviso aos outros".

    Nesse sentido, há outra razão para supor que Hwang foi executado: a informação segundo a qual o líder norte-coreano visitou a mítica montanha Baekdu na sexta-feira passada (8), algo que ele faz sempre que toma decisões importantes, sublinhou o jornal sul-coreano.

    Mais:

    'Contradições entre Trump e Tillerson enfraquecem posição dos EUA contra Coreia do Norte'
    Mídia: Coreia do Sul pede para EUA adiar manobras militares durante Jogos Olímpicos
    Tags:
    castigo, execução, exército, Kim Jong-un, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik