22:10 23 Maio 2019
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA Donald Trump

    Coreia do Norte chama Trump de 'senil' após reconhecer Jerusalém como capital de Israel

    © AP Photo / Andrew Harnik
    Ásia e Oceania
    URL curta
    15166

    O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Coreia do Norte chamou o presidente dos EUA, Donald Trump, de "senil" em um comunicado divulgado pela estatal KCNA neste sábado, sobre a última decisão de Washington de reconhecer Jerusalém como a capital israelense.

    Trump anunciou na quarta-feira que os EUA reconheceriam Jerusalém como a capital de Israel e assinaram um documento para mover a embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém, o que provocou reações negativas de muitos países ao redor do mundo, principalmente no Oriente Médio.

    "Esta decisão dos EUA não é tão surpreendente como veio de um senil que havia exortado a 'destruição total' de um Estado soberano [Coreia do Norte] em um fórum sagrado da ONU. Mas, através disso, o mundo será capaz de discernir sobre quem é realmente um destruidor da paz e segurança do mundo e o que é uma gangue de fanáticos da sociedade internacional", diz o comunicado.

    O porta-voz condenou fortemente a decisão dos EUA sobre Jerusalém, chamando-o de "ato imprudente e de alto nível".

    "A decisão do presidente dos Estados Unidos, Trump, de reconhecer Kuds [Jerusalém] como a capital de Israel e mover a embaixada dos EUA para lá, bem merece uma condenação e rejeição global, pois é um desafio aberto e um insulto à legitimidade internacional e a uma unanimidade vontade da sociedade internacional", continua a nota.

    As autoridades norte-coreanas geralmente fazem observações dessa natureza. Em setembro, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, chamou Trump de "senil mentalmente perturbado nos EUA" depois que o presidente norte-americano ameaçou "destruir totalmente" a Coreia do Norte se forçado a defender os EUA.

    As tensões entre Israel e os palestinianos aumentaram após o anúncio da Casa Branca. O Ministério da Saúde palestino disse no início do dia que cerca de 1.100 pessoas ficaram feridas na Cisjordânia nos protestos de sexta-feira contra o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel, enquanto o Crescente Vermelho da Palestina disse na sexta-feira que quase 800 pessoas ficaram feridas.

    Mais:

    Opinião: guerra com Coreia do Norte começará com um ataque de Washington
    Aviões supersônicos dos EUA simulam bombardeio perto da península da Coreia
    Brasil é um dos 49 países a violar sanções contra Coreia do Norte, dizem pesquisadores
    Tags:
    embaixada, violência, guerra, diplomacia, KCNA, Donald Trump, Palestina, Jerusalém, Israel, Estados Unidos, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar