18:48 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Caça norte-americano F-16 na base aérea de Osan, Coreia do Sul (foto de arquivo)

    Opinião: sem esforços significativos, não tem como evitar guerra na península da Coreia

    © AP Photo/ Ahn Young-joon
    Ásia e Oceania
    URL curta
    401

    O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte afirmou que a guerra na península coreana é inevitável. O especialista em ciências políticas, Aleksandr Gusev, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik opinou como é possível evitar este cenário.

    As manobras conjuntas dos EUA e da Coreia do Sul, bem como declarações dos políticos norte-americanos evidenciam que Washington está se preparando para atacar a Coreia do Norte, informou a Agência Central de Notícias da Coreia, citando o Ministério das Relações Exteriores do país. 

    A chancelaria norte-coreana frisou também que as declarações dos EUA são um aviso para que a Coreia do Norte se prepare para uma guerra na península.

    EUA e Coreia do Sul realizam nesta semana as manobras conjuntas sem precedentes que contam com a participação de mais de 200 aviões bélicos. A conclusão das manobras está prevista para sexta-feira (8). 

    Os dois países em questão realizam treinamentos militares em grande escala devido ao aumento de tensões entre Washington e Pyongyang.

    O especialista em ciências políticas, Aleksandr Gusev, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik opinou que para estabilizar a situação, é necessário desistir das manobras militares.

    "As manobras em larga escala dos EUA e da Coreia do Sul […] não somente contribuem para a desestabilização da situação em torno da península coreana, mas também irritam os norte-coreanos. Levando isso em consideração, é preciso aplicar esforços significativos para normalizar as relações. Contudo, ninguém pode influenciar os EUA, esta é a questão mais importante. Se algum outro país enfrenta uma pressão séria, então quem se atreverá a pressionar os EUA e o político imprevisível? Ninguém. É aí que os padrões duplos são revelados. Por um lado, os EUA afirmam estarem interessados em atenuar o conflito entre a Coreia do Sul e seu vizinho do norte, mas […] brandir as armas ainda nunca levou a conciliação entre os dois países. Sendo assim, é necessário acabar com as manobras militares. Contudo, os EUA não acreditam que isso possa levar a graves consequências", assinalou Aleksandr Gusev.

    Mais:

    Mídia: Japão está preparando resposta bélica à Coreia do Norte
    Vida pelo líder: como forças de segurança protegem chefes da Coreia do Norte
    Ásia teme que a Coreia do Norte cumpra ameaça de teste nuclear mais poderoso e perigoso
    Tags:
    manobras, guerra, Coreia do Sul, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik