04:36 19 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e altos militares participam das comemorações do fim da Guerra da Coreia

    Coreia do Norte ameaça levar 'dor, sofrimento e extinção' aos EUA após novas sanções

    © REUTERS/ KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    636213206

    O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte alertou na segunda-feira (hora local) que vai retaliar usando "meios finais" se o Conselho de Segurança das Nações Unidas adotar a nova resolução que imponha sanções mais duras contra Pyongyang.

    Na sexta-feira, a missão dos Estados Unidos para a ONU anunciou que Washington convocaria uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para votar em um novo projeto de resolução que deverá aumentar as sanções à Coreia do Norte. Washington quer colocar mais pressão sobre o Norte ao impor um embargo de petróleo e congelar ativos do líder do país, Kim Jong-un.

    "No caso de os EUA eventualmente apresentar sanções ilegais mais duras, a RPDC [República Popular Democrática da Coreia] deve ter certeza absoluta de que os EUA paguem o devido preço. A RPDC está pronta e disposta a usar qualquer um dos principais meios. As próximas medidas a serem tomadas pela RPDC causarão aos EUA a maior dor e sofrimento que eles já sofreram em toda a sua história", afirmou a declaração, citada pela agência estatal de notícias KCNA.

    O ministério enfatizou que as sanções propostas visavam minar a soberania da Coreia do Norte em um nível extremo e acrescentou que Pyongyang estava monitorando de perto os movimentos dos EUA.

    "Os EUA devem estar plenamente conscientes de que, enquanto persistir com um intenso confronto político, econômico e militar com a RPDC, desafiando seu repetido aviso severo, eles nunca poderão evitar sua extinção permanente", diz o comunicado.

    Em 5 de agosto, o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade a Resolução 2371, que aperta as sanções contra a Coreia do Norte em resposta aos testes de mísseis balísticos de Pyongyang realizados no final de julho. No entanto, as medidas restritivas não impediram a Coreia do Norte de realizar mais testes, inclusive com uma poderosa bomba de hidrogênio.

    Mais:

    Coreia do Norte promete mais 'presentes' aos EUA
    Opinião: 'Coreia do Norte não quer guerra, quer garantias de estabilidade do regime'
    Economia do mercado chegaria à Coreia do Norte? (FOTOS)
    Extremo Oriente russo tem plano próprio caso situação na Coreia do Norte se agrave
    Putin: Coreia do Norte não precisa ter medo por sua segurança
    Tags:
    Resolução 2371, KCNA, Conselho de Segurança da ONU, Kim Jong-un, Pyongyang, Coreia do Norte, Washington, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik