06:14 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Bandeira nacional da Coreia do Norte

    Mídia: Coreia do Norte tem capacidade para disparar míssil com ogiva nuclear

    © AFP 2017/ Ed Jones
    Ásia e Oceania
    URL curta
    10142

    Membros de órgãos de inteligência dos Estados Unidos acreditam que a Coreia do Norte já é capaz de colocar ogivas nucleares em seus mísseis, informou o jornal Washington Post nesta terça-feira (8).

    A informação foi extraída de um memorando da Agência de Inteligência de Defesa dos EUA. A publicação afirma que a Coreia do Norte já é capaz de acoplar uma ogiva nuclear em seus mísseis, inclusive nos seus mísseis balísticos intercontinentais — que podem atingir os EUA. 

    O Ministério de Defesa do Japão já afirmou que a Coreia do Norte tem capacidade para disparar ogivas nucleares em seus projéteis. 

    No sábado, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou por unanimidade as sanções econômicas mais duras já tomadas contra a Coreia do Norte. Em resposta, o país governado por Kim Jong-un prometeu medidas decisivas, incluindo "ações físicas".

    A situação na península coreana está tensa nos últimos meses devido a uma série de lançamentos de mísseis e testes nucleares realizados por Pyongyang. A Coreia do Norte realizou dois testes de mísseis balísticos intercontinentais no mês passado.

    Mais:

    Coreia do Norte promete retaliação 'física' a seus adversários
    Japão: Coreia do Norte já pode ter tecnologia para construir ogivas nucleares menores
    Pequim: China vai pagar o preço das sanções contra a Coreia do Norte
    Coreia do Norte carrega lanchas com mísseis após EUA sugerirem reenviar navios à península
    'Temos o programa nuclear completo': É o que a Coreia do Norte pode anunciar em 2018
    Opinião: 'Os Estados Unidos não estão prontos para o diálogo direto com a Coreia do Norte'
    Tags:
    Conselho de Segurança da ONU, Ministério de Defesa do Japão, Washington Post, Agência de Inteligência de Defesa dos EUA, Kim Jong-un
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik