04:27 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    140
    Nos siga no

    A Rússia, juntamente com a China, precisa abordar no Conselho de Segurança da ONU a questão de recomeçar as negociações sobre a situação na Coreia do Norte, pois as sanções somente agravarão o problema, disse na segunda-feira à Sputnik Vladimir Dzhabarov, senador do Conselho da Federação da Rússia (câmara alta do parlamento russo).

    "A Rússia deve incentivar o Conselho de Segurança da ONU a reiniciar as negociações sobre a situação da Coreia do Norte e acho que a China também está interessada nisso", disse o primeiro vice-presidente do Comitê Internacional do Conselho da Federação da Rússia, Vladimir Dzhabarov.

    Ele sublinhou que, no momento, os EUA e o Japão estarão insistindo em introduzir novas sanções contra Pyongyang, mas "restrições levarão a um efeito contrário".

    O senador acha que, além de reiniciar as conversações entre seis países sobre a Coreia do Norte, é preciso dar aos norte-coreanos a garantia que nada os ameaça. "Agora ninguém lhes dá tais garantias, por isso eles continuam aumentando suas capacidades de segurança", concluiu o senador.

    Na segunda-feira (domingo, hora do Brasil), a Coreia do Norte lançou mais um míssil balístico da costa oriental do país. O míssil voou uma distância de 450 quilômetros em 6 minutos. O comando unificado da Coreia do Sul classificou o míssil de pequeno ou de médio alcance, do tipo Skad. O míssil caiu na zona econômica exclusiva do Japão sem causar danos.

    Desde 2006, o Conselho de Segurança da ONU aprovou seis resoluções em relação a Pyongyang, para que parasse o desenvolvimento de armas nucleares e de mísseis. As conversações de seis lados sobre a desnuclearização da península Coreana começaram em agosto de 2003 com a participação de diplomatas da Rússia, Coreia do Norte, Coreia do Sul, EUA, China e Japão. Como resultado, a Coreia do Norte congelou seu programa nuclear e até começou a desmontar um dos reatores. No entanto, a partir de 2008 o diálogo chegou a um impasse após Washington e Pyongyang não terem conseguido ajustar os termos da verificação dos programas nucleares norte-coreanos.

    Mais:

    Míssil da Coreia do Norte caiu na zona econômica exclusiva do Japão
    Pentágono: guerra com a Coreia do Norte seria um desastre, inclusive para China e Rússia
    Tags:
    sanções, lançamento teste, Comitê Internacional do Conselho da Federação, Vladimir Dzhabarov, China, Rússia, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar