18:46 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Chanceler russo, Sergei Lavrov, com seu homólogo chinês, Wang Yi, durante encontro em Moscou, 26 de maio de 2017

    Rússia e China são contra a implementação do THAAD sob pretexto da ameaça norte-coreana

    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    781
    Nos siga no

    Chanceleres da Rússia e China destacaram em uma coletiva de imprensa conjunta, realizada em Moscou na sexta-feira (26), que ambos os países apoiam uma regulação política da crise coreana.

    Como declarou o chanceler russo, Sergei Lavrov, ambas as partes confirmaram que todos os lados envolvidos na situação atual da península da Coreia têm que seguir as resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

    "Somos a favor de medidas tais que, por um lado, obstaculizem o desenvolvimento do programa nuclear norte-coreano, mas, ao mesmo tempo, não levem ao aumento da tensão na região", disse Lavrov, sublinhando que Moscou e Pequim estão a favor da desnuclearização da península.

    Lavrov, lembrando a frase de James Mattis, destacou que mesmo os EUA confirmam que o cenário bélico terá consequências devastadoras:

    "As consequências destruidoras do cenário bélico são reconhecidas por todos. Destaco aqui as últimas declarações do secretário de Estado dos EUA, James Mattis. Ele disse diretamente que o uso da força na regulação do problema da península da Coreia será catastrófico e nefasto."

    Mais cedo, seu homólogo chinês, Wang Yi, havia declarado que fez uma proposta a Pyongyang para parar os testes nucleares em troca da suspensão de treinamentos conjuntos dos EUA e Coreia do Sul.

    Falando de Seul e Washington, as partes anunciaram que estão contra a implementação do sistema THAAD na Coreia do Sul.

    "Nós estamos insistindo na manutenção da paz e estabilidade na península [da Coreia], somos contra todas as ações e declarações negativas que favorecem a tensão e estamos contra a implementação do sistema THAAD na Coreia do Sul sob pretexto do problema nuclear da Coreia do Norte", frisou o chanceler chinês, Wang Yi.

    O acordo sobre a implantação do sistema THAAD foi alcançado entre os Estados Unidos e a Coreia do Sul em julho de 2016, tendo os primeiros componentes do sistema começado a chegar ao país no início de março. Segundo o acordo, Seul deve disponibilizar o local para o sistema, enquanto Washington deve pagar pela sua instalação e manutenção.

    Mais:

    Coreia do Norte promete maior capacidade nuclear e chama esforço dos EUA de 'farsa'
    Pyongyang acusa EUA de impedir cooperação entre Rússia e Coreia do Norte
    China pede aos EUA 100 dias para influenciar Coreia do Norte
    Tags:
    programa nuclear, THAAD, Wang Yi, Sergei Lavrov, Coreia do Norte, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar