15:46 23 Maio 2017
Ouvir Rádio
    Navio da Guarda Costeira do Japão

    Quarteto fantástico? Japão atuará nos maiores treinamentos com grandes potências navais

    © flickr.com/ Times Asi
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1189647

    O Japão confirmou sua intenção de participar dos maiores treinamentos da região, desde os tempos da Segunda Guerra Mundial, junto com os EUA, Grã-Bretanha e França. Os exercícios militares são destinados contra a atividade cada vez mais intensificada da China, informou a agência Kyodo na terça-feira (21).

    Como resultado das negociações com o presidente francês, François Hollande, que aconteceram na segunda-feira (20) em Paris, o premiê japonês, Shinzo Abe, descreveu como sendo "um evento de profunda importância" que contará com a participação do Japão nos treinamentos quadrilaterais que, anteriormente, foram nomeados pela agência Reuters como "a maior demonstração do poder naval na região após a Segunda Guerra Mundial".

    Segundo informa a mídia japonesa, os treinamentos de desembarque navais na costa serão realizados na segunda e terça semanas de maio na parte ocidental do oceano Pacífico perto das Ilhas Marianas a fim de conter a presença militar da China na região.

    Espera-se que a França vá usar um cruzador de classe Mistral. Além disso, segundo disse Abe, o Japão espera em abril a chegada da esquadrilha de exercício francesa.

    De acordo com a agência Kyodo, o líder japonês declarou partilhar da mesma opinião de Hollande sobre os oceanos Índico e Pacífico pertencerem à comunidade internacional e necessitarem da manutenção de navegação livre.

    Ao mesmo tempo, os líderes do Japão e da França concordaram em cooperarem nas áreas de energia nuclear e segurança.

    O premiê chinês declarou em uma coletiva de imprensa que os dois países vão participar juntos na elaboração de reatores no âmbito do projeto de ASTRID. Os líderes dos dois países também participaram da cerimônia de assinatura do acordo segundo o qual as corporações japonesas Mitsubishi Heavy Industries e Japan Nuclear Fuel comprarão 5% das ações da empresa francesa AREVA, que cria e presta serviços a reatores para Centrais Nucleares.

    Mais:

    China retaliará se Japão enviar Izumo para o mar do Sul da China
    Japão lança satélite espião em meio a ameaças da Coreia do Norte
    Japão lança campanha naval para mostrar aumento de capacidades da sua frota
    Tensões a mil: China se opõe ao Japão pela mobilização de navios no mar do Sul da China
    Tags:
    central nuclear, reatores, cooperação, negociações, treinamento militar, exercícios navais, presença militar, navio, Mistral, Segunda Guerra Mundial, Reuters, Kyodo, François Hollande, Shinzo Abe, Oceano Índico, oceano Pacífico, China, Grã-Bretanha, EUA, Paris, França, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik