19:28 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Futuro presidente filipino, Rodrigo Duterte, durante sua campanha eleitoral em Manila, Filipinas, May 7, 2016.

    Presidente das Filipinas pode ter parentes ligados com Daesh

    © AP Photo / Aaron Favila
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1254
    Nos siga no

    Rodrigo Duterte, líder filipino, admitiu que alguns de seus parentes lutam lado a lado do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia). No entanto ele prometeu combater ao terrorismo no seu país.

    O líder das Filipinas revelou que alguns membros da sua família têm ligações diretas com os extremistas do Daesh, informa site Rappler, que publicou a entrevista com Duterte.

    O presidente filipino destacou que o movimento extremista é bastante forte no país, além disso, ele acredita que foi o Deash que organizou as explosões nas Filipinas [em Midsayap em 24 de dezembro e em Davao no início de setembro]. Mas nenhum grupo reivindicou a autoria dos atentados.

    "Para ser franco, eu tenho primos que estão no outro lado, com a MI [Frente Moro de Libertação Islâmica] e a MN [Frente Moro de Libertação Nacional]. Alguns, ao que sei, estão ligados com o Daesh", disse Duterte.

    Ele sublinhou que ele serve o seu país e não as relações pessoais, por isso o governo continua realizando ofensivas contra os grupos extremistas locais.

    A política interna de Duterte se caracteriza pela luta contra a criminalidade no país. Desde que Duterte tomou posse no final de junho, a guerra às drogas causou mais de 6.000 mortes, de acordo com diferentes relatórios.

    A polícia das Filipinas recebeu "licença para matar", uma autorização que provocou fortes protestos internacionais de ativistas dos direitos humanos.

    Tags:
    criminalidade, terrorismo, Daesh, Rodrigo Duterte, Filipinas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar