02:12 05 Março 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 31
    Nos siga no

    O governo sul-coreano admitiu que seu comando militar cibernético foi hackeado no mês passado através da inclusão de um código malicioso em um dos seus principais servidores de roteamento.

    No entanto, as autoridades sul-coreanas estimam que a possibilidade de dados terem sido roubados é "muito baixa", porque a intranet militar não estava conectada ao servidor hackeado, segundo relata a agência de notícias sul-coreana Yonhap News.

    "Nós identificamos um código malicioso que, aparentemente, aproveitou-se da vulnerabilidade do servidor de roteamento" e, "prudentemente, o isolamos da rede", explicou Kim Jin-pyo, um membro do Comitê de Defesa Nacional da Coreia do Sul.

    O servidor atacado funcionava como uma zona de segurança para os computadores usados pelos militares se conectarem à Internet. Cerca de 20.000 computadores estavam conectados ao servidor no momento do ataque.

    O Comando Militar da Coreia do Sul lançou uma investigação formal sobre o ataque cibernético e um dos principais suspeitos é a Coreia do Norte. Em várias ocasiões, Seul já acusou Pyongyang de investir na guerra cibernética e de estar por trás de uma série de ataques que causaram interrupções no sistema metropolitano e em usinas nucleares do país.

    Mais:

    Russo descobre que seus servidores foram usados em ataques hacker contra EUA
    Putin comenta escândalo do ataque hacker à WADA
    Coreia do Norte usa 6.800 hackers em guerra cibernética contra Coreia do Sul
    Tags:
    intranet, Internet, comando militar, hackers, ataque cibernético, Coreia do Norte, Coreia do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar