13:02 20 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados filipinos durante exercícios navais conjuntos com EUA

    Exercícios militares conjuntos dos EUA e Filipinas podem ser os últimos?

    © AP Photo / Bullit Marquez
    Ásia e Oceania
    URL curta
    681
    Nos siga no

    Os EUA e as Filipinas deram início às manobras militares conjuntas que podem ser as últimas depois de o presidente filipino, Rodrigo Duterte, ter anunciado na semana passada a intenção de acabar com essa prática, informou a mídia na terça-feira (04).

    Segundo o comandante da Marinha filipina, major-general Andre Costales Jr., citado pelo jornal The Philippine Star, "para o ano de 2016 a missão das Filipinas seria integrar o uso de navios estratégicos e outros meios não tradicionais".

    Duterte ressaltou que além de planos de desenvolver laços comerciais com a China, ele pretende buscar aliança com a Rússia. Em resposta, o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, comunicou na segunda-feira (03) que a Rússia é a favor das "relações mutuamente vantajosas e construtivas com Washington, Pequim e Manila em todas as áreas".

    Cabe ressaltar que o relacionamento entre as Filipinas e os EUA tem sofrido uma piora após Washington ter criticado a morte de pessoas ligadas ao tráfico de drogas no país asiático. Além disso, na véspera da cúpula do G20, realizada na China, o líder filipino xingou o presidente norte-americano, Barack Obama, de "filho da p…".

    É de lembrar, que em 13 de setembro, Duterte comunicou que seria melhor se as forças estadunidenses de se retirassem do sul das Filipinas, mas depois anunciou que não planeja prejudicar laços com os EUA.

    Mais:

    Presidente das Filipinas promete 'atravessar o Rubicão' dos EUA para a Rússia e a China
    'Que se f***': quem irritou o presidente das Filipinas desta vez?
    Tags:
    comandante, navios, exercícios navais, relações bilaterais, Cúpula do G20, Marinha, Rodrigo Duterte, Dmitry Peskov, Manila, Pequim, Filipinas, China, EUA, Washington, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar