22:17 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Analistas acreditam que o país conta com cerca de 120 armas nucleares

    Paquistão pode estar construindo novo centro de enriquecimento de urânio

    © East News / Action press/Public Address
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5102

    Em meio às preocupações com o programa nuclear norte-coreano, analistas da IHS Jane's divulgaram um relatório sugerindo que o Paquistão também pode estar aumentando seus estoques de armamentos atômicos.

    De acordo com o grupo, imagens de satélites indicam que os paquistaneses estariam construindo um novo complexo de enriquecimento de urânio, na província de Punjab.

    "Essa área de interesse é de aproximadamente 1,2 hectare e está localizada dentro da área de segurança dos Laboratórios Khan, na parte sudoeste do complexo", diz o texto da análise. "Mais ou menos retangular e com medidas de aproximadamente 140 x 80 metros, a nova estrutura é cercada por mato e árvores, que fornecem uma medida adicional de segurança ao terreno".

    A localidade citada fica na cidade de Kahuta, a cerca de 30 km de Islamabad. 

    "Está situado dentro de uma instalação de centrífuga estabelecida, tem uma forte segurança e mostra algumas das características estruturais de um possível novo centro de enriquecimento de urânio. Isso o torna um forte candidato para uma nova instalação de centrífuga", disse Karl Dewey, analista da IHS Jane's, citado pelo Indian Express.

    O Paquistão realizou o seu primeiro teste nuclear em 1998 e, acredita-se, dispõe de 120 armas nucleares hoje. O país conta com três usinas nucleares comerciais e planeja construir 32 adicionais até 2050.

    Mais:

    Ataque contra mesquita no Paquistão faz 16 mortos
    Paquistão ajudará a China a se reforçar no Oriente Médio
    Paquistão propõe à Índia negociações sobre Caxemira
    Hillary usou celular para aprovar assassinatos com drones no Paquistão
    Tags:
    Indian Express, IHS Jane's, Karl Dewey, Islamabad, Kahuta, Punjab, Paquistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar