16:14 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Imagens mostrando lançamento de míssil feito pela Coreia do Norte

    China se opõe às sanções unilaterais contra Coreia do Norte

    © AP Photo / Lee Jin-man
    Ásia e Oceania
    URL curta
    16182
    Nos siga no

    A China é contra a imposição de sanções unilaterais à Coreia do Norte, declarou o ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi.

    "A China se opõe às sanções que são inúteis para resolver a questão", anunciou o ministro, citado pelo jornal The Daily Express na quinta-feira (15), após conversa telefônica com seu homólogo japonês, Fumio Kishida, que aconteceu ontem.

    Ao mesmo tempo, Wang Yi frisou a importância de dar uma "resposta necessária" à situação na península coreana, ressaltando que a China está prestes a cooperar com os membros do Conselho de Segurança da ONU (CSNU) sobre a questão.

    Na quarta-feira (14), o representante permanente da Rússia junto à ONU, Vitaly Churkin, anunciou que o CSNU pretende examinar a possibilidade de uma nova resolução sobre sanções contra a Coreia do Norte.

    Informa-se que no domingo passado o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, ordenou ao governo que preparasse projeto do documento de sanções unilaterais contra o país para conter ambições nucleares de Pyongyang.

    Em 9 de setembro, a Coreia do Norte anunciou ter realizado o quinto teste nucelar no nordeste do país, considerado o maior desde que Pyongyang iniciou seus programas nucleares e de lançamento de mísseis balísticos.

    O teste nuclear, realizado em janeiro, e o lançamento de míssil de longo alcance, em fevereiro, pela Coreia do Norte, fizeram com que as sanções contra o país fossem reforçadas com a resolução do CSNU aprovada em março.

    No dia 9 de setembro, a  Coreia do Norte comunicou sobre a realização bem-sucedida de um novo teste nuclear. Todos os três mísseis lançados caíram na zona econômica exclusiva do Japão, que foi avaliado como perigo direto para a segurança deste país.

    Anteriormente, a ONU impôs sanções contra o país após três testes norte-coreanos – em 2006, 2009 e 2013.

    Mais:

    Coreia do Sul anuncia prontidão da Coreia do Norte para realização de novos testes
    Coreia do Sul desenvolve plano de ataque preventivo contra Coreia do Norte
    Tags:
    conversa telefônica, resolução, testes de mísseis, teste nuclear, Conselho de Segurança da ONU, Wang Yi, Shinzo Abe, Vitaly Churkin, Japão, Rússia, Pyongyang, China, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar